2 eventos ao vivo

Yuri aponta Flu 'fechado' com Marcão e não se abala com divergência na diretoria

Jogadores garantem apoio total ao treinador e tentam evitar que problemas externos atrapalhem o ambiente da equipe

5 nov 2019
21h25
atualizado às 21h25
  • separator
  • 0
  • comentários

As divergências entre o presidente Mario Bittencourt e o vice Celso Barros não vão prejudicar o desempenho do Fluminense nos próximos jogos do Campeonato Brasileiro, segundo o volante Yuri, novo titular do meio de campo da equipe tricolor. "Acho que não desestabiliza. Estamos preocupados com o campo. O problema de fora, eles resolvem. Estamos fechados com o Marcão. Isso não vai atrapalhar o nosso rendimento", disse o meio-campista, nesta terça-feira, em entrevista coletiva.

Por causa das críticas feitas ao trabalho do técnico Marcão, assim como já fizera com o antecessor Fernando Diniz, Celso Barros foi retirado da deleção do time carioca que fará dois jogos fora do Rio de Janeiro pelo Brasileirão. Nesta quinta-feira, no estádio do Morumbi, na capital paulista, contra o São Paulo, e no domingo, em Porto Alegre, diante do Internacional.

Yuri afirmou ser contra as trocas constantes de treinador nas equipes. "Se o técnico é mandado embora, a culpa é dos jogadores. Por isso, nos abalamos. É do futebol, infelizmente. No Brasil, se não tem resultado sobra para o treinador. A gente não pode pensar nisso. Temos que trabalhar todos os dias para ir para o jogo e jogar da melhor forma possível. Hoje o Marcão é o treinador do time. Por isso, estamos fechados com o Marcão".

Segundo Yuri, se o Fluminense tiver um aproveitamento melhor nas finalizações, as vitórias virão e com isso o clima também vai melhorar. "Nos últimos jogos, a gente vem jogando bem. Temos que manter e melhorar no que estamos pecando. Precisamos fazer o gol. No jogo contra o Vasco, o que faltou foi o gol. A gente sabe disso e tem se cobrado. Daqui para frente, vamos melhorar. Estamos trabalhando para isso. O gol vai sair", afirmou.

Com 31 pontos, o Fluminense é o 17.º colocado, o primeiro time na zona de rebaixamento. Os cariocas podem deixar a degola caso o Cruzeiro no máximo empate contra o Athletico-PR, em Curitiba, nesta quarta-feira. Nesta hipótese, o time de Marcão precisa vencer o São Paulo.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade