PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Meu time

Marcão lamenta derrota do Fluminense e reconhece falhas: 'Trabalhar muito para entregar tudo'

Técnico do Fluminense atribuiu mudanças no elenco ao desgaste físico e afirmou que bola parada ameaça defesa do time

17 nov 2021 23h53
ver comentários
Publicidade

Nesta quarta-feira, o Fluminense foi derrotado pelo Juventude por 1 a 0, no Estádio Alfredo Jaconi, em jogo válido pela 33ª rodada do Brasileiro. Após a partida, Marcão admitiu que teve dificuldades para encaixar o time, com desfalques no ataque, e atribuiu o rodízio de jogadores à questão fisiológica.

Marcão convocou torcida do Fluminense para próximo duelo, no Maracanã (Foto: Lucas Merçon / Fluminense)
Marcão convocou torcida do Fluminense para próximo duelo, no Maracanã (Foto: Lucas Merçon / Fluminense)
Foto: Lance!

- Desde o momento que a gente perdeu algumas peças, teve que tentar outras. Também tem a questão do desgaste físico, e por isso optamos pelo Nonato na posição em que vinha o Martinelli. Falta muito pouco para terminar o Brasileiro, vimos de uma temporada praticamente completa. Precisamos analisar quem está melhor para entrar em campo, e temos confiança [nos jogadores escalados]. Lógico que seria bom repetir a mesma equipe todo jogo, mas hoje é fisiologicamente impossível. Por isso também ocorreram as alterações. No jogo, quando o momento não está em uma maneira que podemos entender, optamos pela mudança para surpreender o adversário - disse Marcão.

Entre vitórias e derrotas, o Fluminense não faz uma campanha estável desde o início do Brasileiro. Segundo o técnico, a irregularidade se deve não somente ao desgaste físico, mas à dificuldade de disputar a competição. O comandante também frisou a importância do apoio da torcida nos jogos em casa.

- É isso que a gente sempre procura: a regularidade. Tentamos sempre jogar em um nível alto, no jogo de hoje a gente pediu a mesma pressão do jogo passado, só que mais uma vez não encaixou. Também tem a questão fisiológica, e a gente tem que estar muito sensível a isso. Não conseguimos repetir as equipes. A gente tinha jogadores com cinco, seis jogos seguidos e precisava mudar, então avaliamos. O momento em que a nossa equipe ficou mais segura, foi quando colocamos o tripé no meio, e conseguimos construir. A partir do momento que a gente sai perdendo, precisa fazer uma mudança e alterar, mas tudo isso respeitando a questão tática e de treinamento. Procuramos intensidade, e regularidade, mas sabemos que o Campeonato Brasileiro é o mais difícil do planeta. [...] Mais uma vez, vamos jogador da forma que a gente acha, junto com o nosso torcedor. Os jogos que a gente perde fora, a torcida joga junto em casa. Mais uma vez, a gente vai pedir que eles apoiem no fim de semana para somar pontos e conquistar vitórias. Em um campeonato tão difícil quanto o desse ano, a torcida vai fazer muita diferença.

Marcão ainda aproveitou para comentar o gol do Juventude, após uma bola alçada na área. Ele reconheceu que as cobranças do adversário são um calcanhar de Aquiles da defesa tricolor, assim como destacou problemas no setor ofensivo.

- A gente fala muito sobre detalhe no jogo. Tínhamos treinado essa bola parada deles, e infelizmente, mais uma vez, ela entrou. O que a gente pode fazer é prometer continuar trabalhando a bola parada adversária, e no setor ofensivo, a participação dos atacantes, finalizações... Está faltando muito pouco, então é o momento de dar tudo que a gente puder. No físico, na unidade, na questão mental, em que estamos muito fortes. E também o relacionamento com o nosso torcedor, porque eles certamente irão fazer a diferença no Maracanã. A nossa responsabilidade é de trabalhar muito para entregar tudo para eles, no domingo, dentro de casa.

Com o resultado, o Tricolor permanece com 45 pontos, na oitava colocação e a quatro pontos do G6. Neste domingo, o Fluminense recebe o América-MG no Maracanã, às 17h, em jogo válido pela 34ª rodada do Brasileiro.

Lance!
Publicidade
Publicidade