PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Meu time

Marcão destaca comprometimento em derrota, mas lamenta gols em bons momentos do Fluminense

Treinador ainda falou sobre a falta de reação da equipe e explicou escolhas no time titular após partida contra o Santos na Vila Belmiro

27 out 2021 22h30
| atualizado às 22h30
ver comentários
Publicidade

O Fluminense jogou mal, perdeu para o Santos por 2 a 0 e desperdiçou a oportunidade de entrar no G6 do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Marcão lamentou o resultado na Vila Belmiro, ressaltou a "mobilização" do adversário para o jogo, que tirou o Alvinegro do Z4, mas valorizou a entrega de seu grupo.

- A gente sabia que seria um jogo difícil, eles se mobilizaram para essa partida. A nossa equipe se preparou, a gente sabia que seria uma pressão de início. No primeiro tempo, eles pressionaram, a gente tentou arrumar uma alternativa para sair dessa pressão e assustar a equipe adversária. Justamente no momento que equilibramos o jogo, levamos o gol - analisou.

- Acho que fizemos um segundo tempo melhor, mais encaixado, empurramos mais a defesa, até o momento do segundo gol, quando a gente realmente estava muito bem. Infelizmente, eles aproveitaram as oportunidades que tiveram, mas valeu a entrega e o comprometimento do grupo. É esfriar a cabeça que final de semana a gente tem mais um jogo muito difícil - completou.

Marcão, durante coletiva do Fluminense (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Marcão, durante coletiva do Fluminense (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Foto: Lance!

Uma das dificuldades apresentadas pelo Flu tem sido reagir após sair atrás no placar. Para Marcão, isso será trabalhado para melhorar. Com a derrota, o Fluminense interrompeu uma sequência de duas vitórias e fica com 39 pontos na oitava posição do Brasileirão. No próximo domingo, a equipe vai até o Castelão enfrentar o Ceará, às 16h, pela 29ª rodada.

- Criamos algumas situações. Voltamos melhor para o segundo tempo. Em determinado momento, começamos a ferir a defesa do Santos, empurramos eles para trás. Sabíamos que em algum momento criaríamos uma oportunidade de gol. Mudamos, colocamos duas linhas, dois atacantes, criamos algumas situações, finalizamos outras. Infelizmente a bola não entrou. Mas sempre buscamos soluções. Sobre não conseguir virar um jogo, é uma coisa que vai ser falada, trabalhada. Se acontecer em algum outro jogo, vamos estar preparados para escolher a melhor formação, a melhor situação, para mudar esse quadro - afirmou o treinador.

VEJA OUTRAS RESPOSTAS:

EGÍDIO

Está treinando. Marlon fez dois bons jogos e demos sequência, estava muito tempo sem jogar e vai continuar jogando. Temos Egídio, Danilo, Marlon. Quem estiver melhor no momento vai ser utilizado.

CAIO PAULISTA

O Caio é um cara que sempre trabalhou muito. Sabemos que ele é um cara que pode nos entregar muito. Ele sabe também que não atingiu o nível que vinha jogando, mas é um cara que trabalha muito, busca muito, fica após o treino tentando fazer tudo e sabemos que em algum momento ele vai voltar a ser o Caio que conhecemos, de força, de entrega, que faz gol, que participa bastante. Ele está buscando, está trabalhando por isso.

POVOAR O MEIO

Fizemos alguns jogos nesse mesmo modelo. O Athletico-PR jogou dessa forma (com 3 zagueiros contra o Flu). Algumas outras equipes vêm também fazendo uma saída de três, empurra o 5 entre os zagueiros. Contra algumas equipes tivemos sucesso.

PONTAS

Apesar da derrota, o Luiz trabalhou bastante. Tanto fez a parte defensiva quanto a ofensiva. O Caio se destacou dessa forma também, um cara muito tático. Quando as coisas não vão muito bem, acabamos criando e buscando alguma alternativa para melhorar. Tanto que quando entendemos no segundo tempo que deveríamos mudar, colocamos duas linhas de quatro e dois homens na frente, pressionamos mais os zagueiros deles e acabamos criando algumas situações, mas, infelizmente, não resultaram em gol.

Mas não ficamos engessados a qualquer tipo de situação. O Santos jogou no 3-4-3, em algum momento o Tardelli fazia o quinto homem. O Arias fez uma recomposição por dentro. Quando posicionamos ele no lado esquerdo, em um tripézinho, ele pegou algumas bolas que ofereceram perigo à defesa do Santos. Mas não ficamos amarrados a um posicionamento e sempre estamos atentos para buscar soluções.

Lance!
Publicidade
Publicidade