PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Meu time

Fred volta a crescer na Libertadores, mantém sonho do Fluminense e é o terceiro maior brasileiro na artilharia

Desfalque na ida, atacante garantiu a vitória do Flu sobre o Cerro Porteño e a vaga nas quartas de final da competição

4 ago 2021 07h04
| atualizado às 07h04
ver comentários
Publicidade
Fred foi eleito o melhor em campo na vitória do Fluminense na Libertadores (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Fred foi eleito o melhor em campo na vitória do Fluminense na Libertadores (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Foto: Lance!

.Um jogador só se torna realmente decisivo quando aparece em grandes competições. No caso de Fred, isso não poderia ser mais verdade. Com um ótimo início de temporada, o camisa 9 caiu de rendimento e acabou sofrendo uma lesão. De volta, não vinha bem, mas foi retornar para a Libertadores que apareceu novamente na hora certa para colocar o Fluminense nas quartas de final da competição com a vitória por 1 a 0 sobre o Cerro Porteño (PAR).

O centroavante puxou a responsabilidade e fez uma das poucas jogadas realmente boas do Flu na partida e que acabou gerando o pênalti. Na batida, foi tranquilo para se isolar como o terceiro maior artilheiro brasileiro na história da Libertadores. Ele chegou a 23 gols na competição continental, ultrapassando Célio Taveira (ex-Vasco e Nacional (URU), clube pelo qual marcou todos os seus 22 gols no torneio). Agora, ele fica atrás apenas de Palhinha, com 25, e Luizão, com 29. O sonho de atingir a marca máxima está vivo.

No Fluminense já são 190 gols para o centroavante, que chegou no ano passado com 172. Na temporada são 13, sendo cinco na Libertadores, além de duas assistências. Na fase de grupos ele esteve envolvido em 70% das vezes que o Tricolor balançou a rede, reforçando a importância para a campanha. Depois do fim desta primeira fase, em maio, em 12 jogos ele havia marcado só duas outras vezes. Uma na Copa do Brasil contra o Red Bull Bragantino (vitória por 2 a 0) e outra no Brasileirão diante do Athletico-PR (derrota por 4 a 1).

A atuação ainda não convenceu. Mesmo Fred, que puxou algumas jogadas e demonstrou vontade, ainda não consegue repetir o rendimento anterior. Seja pelo cansaço da sequência ou porque o Fluminense segue sem jogar bem. A vida sem Caio Paulista na ponta tem se mostrado complicada e as bolas não estão chegando com tanta frequência.

- Estamos sofrendo para criar e a responsabilidade é minha também. O que me incomoda não é ficar sem fazer gol, mas não criar, eu ficar sem dar um passe, puxar a marcação. O que estamos tentando fazer é na fala, na orientação dentro de campo, dizer para encostar para não ficar sozinho, fazer o facão. Estou tentando fazer alguma coisa para surpreender o adversário e voltar a fase de criar toda hora e ter várias finalizações - admitiu Fred, em coletiva após a partida no Maracanã.

Para seguir tendo Fred na Libertadores, o técnico Roger Machado terá que dosar as participações em outras competições. Só em agosto, o Tricolor já decidirá as quartas da competição continental e da Copa do Brasil, além de ter quatro rodadas do Brasileirão. Fazer a gestão do elenco, como o treinador costuma dizer, e rodar será importante.

O Fluminense não tem tempo a perder. Agora, volta as atenções novamente para o Campeonato Brasileiro, de onde vem de duas derrotas consecutivas. No domingo, a equipe visita o América-MG às 16h. Já no próximo dia 12, quinta-feira, acontece a ida contra o Barcelona de Guayaquil (EQU), no Maracanã, às 21h30. A volta, no Equador, é no dia 19, no mesmo horário.

Fred marcou de pênalti (Foto: Staff Images / CONMEBOL)
Fred marcou de pênalti (Foto: Staff Images / CONMEBOL)
Foto: Lance!
Lance!
Publicidade
Publicidade