2 eventos ao vivo

Para Arrascaeta, Flamengo aos poucos vai voltar a jogar como no ano passado

Meia uruguaio foi um dos autores dos gols na vitória contra o Coritiba, no Maracanã

21 nov 2020
23h37
atualizado às 23h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A primeira vitória do técnico Rogério Ceni no comando do Flamengo - 3 a 1 contra o Coritiba, neste sábado, no estádio do Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro - veio com um futebol convincente e com vários jogadores importantes voltando a ter boas atuações. Um deles foi o meia uruguaio Arrascaeta, que marcou um dos gols e acredita que o time vai crescer aos poucos e pode voltar a brilhar como a temporada passada.

"Ano passado foi um ano muito bom e tomara que seja possível voltar esse ano", afirmou o meia, reforçando a forma como o time pressionou o Coritiba e não deu chances para o adversário tentar jogar. "Tentamos criar mais lá no ataque. Apertando a saída de bola, com muita pressão. Era importante vencer em casa e fazia tempo que não ganhávamos. A gente tenta dar o melhor sempre", assegurou.

A respeito da escalação inicial de Rogério Ceni, igual aos tempos do português Jorge Jesus, parece que está de acordo com o que pensa o meia e outros jogadores. "O Rogério é um grande treinador. Aos poucos, nós vamos pegando as coisas que ele vai passando e tem tudo para o time melhorar", concluiu, lembrando que o time vai ter uma semana cheia em breve e vai dar para recompor todo o elenco.

Eliminado pelo São Paulo da Copa do Brasil, o Flamengo só volta a jogar pelo Brasileirão no dia 5 de dezembro diante do Botafogo, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 24.ª rodada. O jogo contra o Grêmio, pela 23.ª rodada, não tem data definida devido os compromissos dos times na Libertadores.

Este vazio na tabela também dá a possibilidade do Flamengo se concentrar apenas nas oitavas de final da Libertadores diante do Racing, da Argentina. O primeiro jogo será disputado fora nesta terça-feira e o segundo no Maracanã, no dia 1.º de dezembro.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade