PUBLICIDADE
Logo do

Flamengo

Meu time

Mauricinho destaca 'prova de amor' da torcida do Flamengo e elogia Matheuzinho: 'Evoluiu muito'

Técnico comandou, interinamente, o Rubro-Negro na vitória sobre o Ceará, por 2 a 1

30 nov 2021 23h13
| atualizado às 23h55
ver comentários
Publicidade

Com quase 50 mil torcedores no Maracanã, em afago após a derrota na final da Libertadores, o Flamengo venceu o Ceará por 2 a 1, nesta terça-feira, com gols de Gabi e Matheuzinho, em duelo válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Interino, Maurício Souza enalteceu o apoio das arquibancadas e a evolução do "extraordinário" lateral-direito, autor do gol do triunfo.

Mauricinho em ação durante o jogo do Flamengo contra o Ceará, nesta terça (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Mauricinho em ação durante o jogo do Flamengo contra o Ceará, nesta terça (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)
Foto: Lance!

- Na verdade, sim (esperava apoio da torcida). A gente percebeu que a torcida percebeu que todos nós estávamos muito machucados com a derrota. Sabíamos que precisávamos fazer um bom jogo para termos uma resposta positiva. A Nação deu mais uma prova de amor ao clube e ao time. Fico muito feliz com o que vimos aqui no Maracanã.

Sobre o jovem lateral, comandado por Mauricinho no time sub-20 em diversas ocasiões, as palavras foram as seguintes:

- Eu o conheço bem. Ele é um jogador extraordinário, extremamente profissional. Evoluiu muito. Principalmente nas questões defensivas. Mas tem o Isla, que é um grande jogador e não vai deixar barato, vai lutar com ele até o final para ser titular. Eu acho que o Flamengo está bem servido na posição. Hoje, o Isla não pôde jogar, e o Matheuzinho, mais uma vez, deu conta do recado. Os dois precisam estar de olhos bem abertos porque se um bobear o outro vira titular.

E Maurício Souza, que treinou o time na última segunda, dia da demissão de Renato Gaúcho, também contou sobre o tom das conversas com o elenco para o jogo de hoje:

- Eu falei o que eles precisavam ouvir. Mas eu acho que, independentemente do que eu falei ou o que a gente fez de preparação, este grupo mostra mais uma vez a força que tem. Repetindo: foi uma derrota traumática. Estávamos confiantes. E três dias depois, depois de uma viagem extremamente cansativa, pegamos um adversário que ganhando hoje estaria brigando pela Libertadores, um adversário difícil.

- E mostramos a força que mostramos hoje, com atletas no seu limite fisicamente falando. Isso mostra a força mental que esta equipe tem. Em relação ao Andreas conversamos com ele, o deixamos à vontade. Ele fez questão de estar em campo, de jogar. Deixamos bem à vontade porque sabemos que ele foi um dos atletas que mais sentiram, em função do segundo gol do Palmeiras. Mas ele mostrou personalidade e foi recompensado com bom jogo e a vitória - finalizou.

Com chances remotas de título, mas já garantido como vice do Brasileirão, o Flamengo terá o Sport (já rebaixado) como próximo adversário. O duelo será nesta sexta-feira, fora de casa, em duelo atrasado.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:

NERVOSISMO PARA MARCAR?

- Eu não sei. Na verdade, nós temos o melhor ataque do Brasil. O time que mais fez gols. Criamos demais. Mas não condiciono isso a nervosismo ou preciosismo. São momentos. Às vezes, você tem chances mais claras, outras menos. Mas se formos ver os números são extraordinários na hora de empurrar a bola para dentro.

FÉRIAS DE JOGADORES ANTECIPADAS?

- Isso é uma situação que a diretoria vai decidir caso a caso. Na verdade não conversei sobre isso, eu não sei. O que me foi passado é que temos quatro jogos. Se a diretoria achar que deve antecipar férias alguém, ela vai.

Lance!
Publicidade
Publicidade