0

Fla manterá contenção e prioriza reforços sem custos para o Brasileiro

18 mar 2013
10h19
atualizado às 11h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Em dificuldades financeiras, o Flamengo manterá a atual política de contenção também para buscar reforços. No Campeonato Brasileiro, o grupo terá contratações que seguirão o perfil dos jogadores que chegaram para a disputa do Carioca.

<p>Carlos Eduardo &eacute; o principal refor&ccedil;o do Flamengo para a temporada</p>
Carlos Eduardo é o principal reforço do Flamengo para a temporada
Foto: Mauro Pimentel / Terra

Dessa maneira, o clube mapeia o mercado, priorizando negociações que possam acontecer sem custos ou por meio de parceiros. Além disso, o possível reforço não poderá ter um salário que ultrapasse a realidade do clube, apesar de não ter um teto estipulado. A média, porém, tem sido de R$ 200 mil.

"Estamos procurando jogadores dentro da nossa realidade. Sabemos que o Campeonato Brasileiro começará no fim de maio e não há como fazer investimento porque não há dinheiro. Não podemos prometer nada", explicou o diretor executivo Paulo Pelaipe.

Além de quitar débitos relativos ao passivo tributário, a nova gestão herdou dívidas da época da presidente Patrcia Amorim relativas a algumas negociações. O clube, por exemplo, deve R$ 700 mil ao atacante Liedson, que foi para o Porto (POR), e terá de pagar cerca R$ 650 mil à Traffic relativa à venda do atacante Diego Maurício ao Alania Vladikavkaz, da Rússia. O Flamengo também terá de repassar R$ 1,6 milhão para o Mogi Mirim por causa da negociação do atacante Wanderley, no meio de 2011, com o Al Arabi, do Qatar.

"Cada dia aparece um problema. São muitas dívidas. Estamos conversando com muitos empresários, analisando e vendo a possibilidade. Não é fácil", comentou Pelaipe.

O clube conseguiu pagar o salário do último mês em dia e, agora, mede esforços para conseguir quitar a folha no próximo mês. "Fizemos a nossa obrigação e pagamos em março. Agora, em abril, não sabemos como será, mas estamos nos esforçando", finalizou o dirigente.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade