0

Em estreia de Luis Enrique, Espanha vence ingleses de virada

8 set 2018
17h46
atualizado às 18h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Para muitos a partida mais esperada deste sábado, Inglaterra e Espanha se enfrentaram às 15h45 (de Brasília), no Estádio de Wembley, em Londres, no complemento da primeira rodada da Liga das Nações da Uefa. O duelo, válido pelo Grupo 4 da Liga A, terminou em virada de 2 a 1 para os visitantes. Todos os gols foram marcados em um primeiro tempo bastante agitado.

A partida ficou marcada, entre outras coisas, por ser a primeira da seleção espanhola sob comando do novo técnico, Luis Enrique, que fez carreira no Barcelona, além da calorosa recepção com mais de 81 mil torcedores aos ingleses, quarto colocados na Copa do Mundo. Antes do duelo, Harry Kane, artilheiro da Copa com seis gols, recebeu uma chuteira de ouro de seu técnico, Southgate. Na partida, porém, não teve grande destaque.

Outras curiosidades foram a permanência de De Gea, bastante criticado no gol da Espanha durante o Mundial, e a presença de Kepa Arrizabalaga, goleiro mais caro do mundo, no banco de reservas. Os protagonistas, no entanto, foram Rashford, Saúl e Rodrigo, marcadores dos tentos.

Agora, Espanha e Inglaterra enfrentam o terceiro componente do Grupo 4, a Croácia. Os comandados de Luis Enrique duelam contra os vice-campeões da Copa do Mundo no dia 11 de setembro, enquanto os ingleses os encontrarão somente em 12 de outubro.

O jogo:

O que parecia ser presságio de uma partida morna, estudada, foi totalmente derrubado aos 10 minutos em contra-ataque de Lane e Shaw, que lançou para Rashford abrir o placar no Wembley. No entanto, os ingleses mal tiveram tempo para comemorar, pois os espanhóis também construíram uma bela jogada pela direita, com participação do brasileiro Rodrigo, que tocou para Saúl mandar para o fundo das redes. 1 a 1 com 12 minutos de jogo.

Os tentos colocaram fogo na disputa, fazendo os times se abrirem bastante. Kane desperdiçou duas oportunidades e, então, a Espanha virou o placar com gol de Rodrigo após cruzamento de Thiago Alcântara. Depois do revés, os ingleses foram para cima e, não fosse defesa espetacular de De Gea, deixaria tudo igual novamente com cabeçada de Rashford.

Na segunda etapa, um susto para a Inglaterra, que perdeu Shaw após choque na cabeça. Em seguida, a Espanha quase aumentou a vantagem com Thiago e depois, aos 15, com Aspas. No entanto, ao contrário do primeiro tempo, os 45 minutos finais não foram produtivos, principalmente para os ingleses, que não conseguiam armar jogadas para empatar.

No fim da partida, lance polêmico. De Gea pegou a bola e, ao descer, bateu em Welbeck, soltando-a. O camisa 20 marcou, mas o juiz voltou atrás no lance após ouvir os auxiliares. Seria o empate da Inglaterra e os torcedores vaiaram muito.

Outros jogos deste sábado

Pela Liga B, a Irlanda do Norte recebeu a Bósnia e Herzegovina às 10h (de Brasília) e perdeu por 2 a 1. Os bósnios Dzeko, da Roma, e Pjanic, da Juventus, não marcaram, mas viram seus companheiros Duljevic e Saric darem a vitória para sua seleção. Grigg descontou para os donos da casa.

Já pela Liga C, a Grécia visitou a Estônia e venceu por 1 a 0, com gol de Fortounis, que atua pelo Olympiacos. Finalizando as divisões, Luxemburgo goleou a Moldávia por 4 a 0 pela Liga D. Os tentos foram marcados por Malget, Thill, Sinani e

Outros resultados:

Suíça 6 x 0 Islândia

Finlândia 1 x 0 Hungria

Bielorrússia 5 x 0 San Marino

Entenda a competição

Esta é a primeira edição da Liga das Nações da Uefa. São 55 países participantes que se dividem em quatro ligas (A, B, C e D), tomando como base o ranking da Uefa. As mais fortes estão na Liga A, exemplo de Alemanha, França, Portugal, Espanha, Inglaterra e Croácia, que ainda se separam em quatro grupos diferentes (1, 2, 3 e 4).

Após seis rodadas de confrontos internos em cada grupo, os que mais pontuarem em seus grupos vão às semifinais, ou seja, somente uma seleção de cada chave se classificará, e os vencedores jogarão a grande final, que deve ser disputada em junho de 2019. As equipes que tiverem o pior desempenho em cada grupo serão rebaixadas para a Liga das Nações B a partir de 2020, e assim sucessivamente com as outras divisões da Liga (B, C e D).

Além do título, a competição será uma parte da classificação para a Euro 2020, já que cada seleção melhor colocada em cada divisão poderá jogar a repescagem (caso já tenha se classificado, o segundo melhor posicionado fica com a vaga). Isso também é válido para as divisões B, C e D, ou seja, seleções modestas como Kosovo e Bielorrússia terão maior chance de estar na principal competição entre seleções do continente.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade