1 evento ao vivo

Presidente do Cruzeiro afirma que clube não perderá pontos e nem será rebaixado por dívidas

24 set 2020
16h16
atualizado às 17h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A questão financeira do Cruzeiro vem preocupando muitos torcedores, pois, por decisão da Fifa, o clube já perdeu seis pontos na Série B e, no momento, está impedido de registrar novos jogadores. Porém, o presidente da equipe celeste, Sérgio Santos Rodrigues, garantiu, em uma transmissão ao vivo no Youtube nesta quinta-feira, que não haverá mais punições que vão resultar em dedução de pontos ou até mesmo no rebaixamento.

Ele declarou que mantém contato com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes, o qual cobra o pagamento do empréstimo de Denilson, que equivale 850 mil euros (aproximadamente R$ 5,5 milhões). "Continuamos de forma paralela negociando com o Al Wahda. Chegaram até a manifestar interesse em atletas nossos. Então, tenho certeza que isso vai ser resolvido, vai ser equalizado. Eu prometi isso lá atrás e pode ter certeza: o Cruzeiro não perde pontos e não será rebaixado na nossa gestão de forma alguma por causa de dívida financeira. Pode ter certeza disso", disse.

Esse caso específico fez a Raposa perder seis pontos na Série B e um novo prazo foi estabelecido. Caso não haja o cumprimento desta novo data, há a possibilidade de rebaixamento automático. "Este é um problema latente, que existe, mas não é de curtíssimo prazo. A gente trabalha bastante com planejamento aqui dentro. Não vamos ser pegos de surpresa com nada. Isso aí já está dentro do nosso escopo, da forma de pagamento que a gente pretende fazer", ressaltou.

O Cruzeiro possui uma outra pendência em aberto com o Zorya, da Ucrânia, referente à transferência de Willian, atualmente no Palmeiras. Contudo, a diretoria alega que já possui acordo com o clube ucraniano e que a punição foi desnecessária. Mas enquanto a Fifa não responde à solicitação de retirada da sanção, a equipe está impedida de registrar novos jogadores.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade