0

Com lesão na coxa, Neymar consolida seu pior ano na Seleção

14 out 2019
15h06
atualizado às 15h09
  • separator
  • 0
  • comentários

Desde que chegou à Seleção principal, em 2000, Neymar nunca teve um ano tão ruim na equipe como o de 2019. Poderia se recuperar nos últimos amistosos do ano, mas a lesão sofrida na coxa esquerda, no jogo do Brasil com Nigéria, no domingo, muito provavelmente vai afastá-lo das duas partidas da Seleção em novembro, contra Argentina, e a outra, com adversário ainda indefinido.

Neymar em jogo do Paris Saint Germain
Neymar em jogo do Paris Saint Germain
Foto: Christian Hartmann / Reuters

Pelas informações do PSG, o atacante deve ficar fora de ação por aproximadamente quatro semanas, o que coincidiria com a data da convocação para os dois amistosos do Brasil no próximo mês — depois deles, a Seleção só volta a jogar em 2020.

Mesmo que, na prática, ele seja liberado pelos médicos do PSG antes do prazo previsto, dificilmente figuraria de novo na Seleção para os dois compromissos que vão fechar a temporada da equipe.

Neymar só esteve em campo cinco vezes nos 14 jogos disputados pela Seleção em 2019. Fez apenas um gol — no empate com a Colômbia por 2 a 2, em 6 de setembro, nos Estados Unidos. Antes, na vitória do Brasil por 2 a 0 sobre o Catar, em amistoso no dia 5 de junho, em Brasília, ele deixou o campo aos 15 minutos de jogo, com entorse no tornozelo direito — lesão que o tirou da Copa América.

Depois do amistoso com a Colômbia, atuou o tempo todo na derrota para o Peru por 1 a 0 e no empate da semana passada, com Senegal (1 a 1), em Cingapura, Ásia, mesmo local do confronto com Nigéria, do qual ele saiu com 10 minutos de bola rolando e viu do banco de reservas, com bolsa de gelo na coxa, o novo empate da Seleção, também por 1 a 1.

Veja também:

 

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade