0

Campeonato Paulista

Técnico prepara Braga para ignorar eventual erro do juiz

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
22 mar 2018
07h42
atualizado às 09h13
  • separator
  • comentários

O técnico Marcelo Veiga confia na capacidade do Bragantino de aguentar a pressão do Corinthians dentro da casa do adversário, mas acredita que os seus jogadores precisão de uma dedicação extra, principalmente na parte psicológica. Para ele, os atletas não podem ficar abalados nem se sentirem que foram prejudicados por alguma decisão do juiz.

"A arbitragem acaba errando um lance para o time grande, geralmente para o time grande, na verdade. Isso é uma coisa normal do jogo, se preparar para esse momento. Não pode se preocupar com os erros", comentou Veiga, tratando como natural uma ajuda do juiz à equipe da casa, principalmente em se tratando de um clube dito grande do futebol brasileiro.

"A gente está numa expectativa de surpreender, sabemos que é difícil, Corinthians é favorito, não tenha dúvida. A gente tem que ser inteligente para jogar com a vantagem que a gente tem. Vai ter pressão, vai ter erro de arbitragem. Temos de estar atentos a todos momentos para não cair numa armadilha", observou o comandante, à espera de um Corinthians diferente do que aquela que bateu no Pacaembu.

"Acho que vai estar mais concentrado, mais atento, se eu tivesse do lado de lá, é isso que eu tentaria passar. Tem também o fato de ser lá no campo da Arena. O campo no Pacembu a gente não deixou molhar, lá eles já molham, o jogo fica mais rápido, outra velocidade", avaliou.

Com mais de uma década de Bragantino, somadas todas as suas passagens pelo clube, Veiga não colocou o duelo desta quinta abaixo de nenhuma das outras grandes campanhas que fez com o clube. Para ele, todos têm de estar atentos para não dar brecha ao Timão.

"Esse é o jogo da vida da gente, temos que encarar dessa forma, é um time que a gente conhece bem. A gente pretende surpreender de novo. Ninguém esperava esse resultado na primeira partida, envolveu a questão do mando, falaram que tínhamos vendido o jogo, precisávamos da resposta positiva", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade