PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Meu time

Sylvinho tenta melhorar desempenho ofensivo do Corinthians

Após terceiro empate seguido do time no Brasileiro, técnico usa treino para aperfeiçoar fundamentos do ataque visando jogo com a Chapecoense

6 jul 2021 16h00
| atualizado às 17h19
ver comentários
Publicidade

Depois do terceiro empate consecutivo no Campeonato Brasileiro (1 a 1 com o Internacional, no sábado passado, em São Paulo), o técnico Sylvinho se mostrou satisfeito com o desempenho do setor defensivo do Corinthians e prometeu melhorar a produção ofensiva agora. Nesta terça-feira, o treinador utilizou o treinamento da manhã para aperfeiçoar este fundamento.

Sylvinho comanda treino do Corinthians; técnico cobra evolução ofensiva do time
Sylvinho comanda treino do Corinthians; técnico cobra evolução ofensiva do time
Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

O elenco corintiano foi dividido em um treino técnico de enfrentamento um a um. Cada atleta só podia dar três toques na bola, e o objetivo era intensificar a marcação em locais determinados nas laterais da área e roubar a bola do "adversário".

Além de cuidar do ataque,o treinador testou a zaga com exercícios em bolas paradas, tanto em faltas quanto em escanteios. Após nove partidas disputadas no Brasileirão, o Corinthians tem saldo de gols zerado. O ataque marcou sete vezes, mesmo número do que a defesa foi vazada. O time não faz boas apresentações, mas tem se sustentado na parte intermediária da tabela, longe da zona de rebaixamento.

Um provável Corinthians para enfrentar a Chapecoense, quinta-feira, às 21h, na Arena Condá, em Chapecó, pela décima rodada do Brasileirão, poderá ser formado com: Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo, Gabriel e Vitinho; Gustavo Mosquito, Mateus Vital e Jô. Sylvinho tem também repetido as escalações, de modo a ganhar mais entrosamento com o tempo.

Nos bastidores e com pouco dinheiro para fazer contratações, a diretoria corre o mercado atrás de reforços. Da Série A, dificilmente chegará um jogador. Repatriar brasileiros sem contrato no exterior pode ser uma opção, desde que o atleta aceite as condições financeiras do clube e o tempo de contrato, estimado em um ano apenas. Nomes como Paulinho e Renato Augusto foram citados, mas a diretoria não confirma nenhum deles.

Estadão
Publicidade
Publicidade