PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Meu time

Sylvinho diz que não há 'culpados' no Corinthians por lesão de Willian e cita cuidados ao defender escalação

Técnico descreve o passo a passo do meia-atacante no clube antes de ele sofrer lesão mais séria contra o Fluminense e começar a desfalcar o time a partir do clássico com o São Paulo

19 out 2021 01h25
| atualizado às 01h38
ver comentários
Publicidade

No primeiro jogo sem poder contar com Willian, que sofreu uma lesão muscular na coxa contra o Fluminense que o deixará afastado dos gramados por mais de um mês, o Corinthians foi derrotado pelo São Paulo por 1 a 0, na noite desta segunda-feira, no Morumbi, e o técnico Sylvinho não escapou de ter de comentar a situação do jogador, que se tornou um desfalque de peso.

Willian durante treino do Corinthians: lesão de atleta foi lamentada por Sylvinho (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Willian durante treino do Corinthians: lesão de atleta foi lamentada por Sylvinho (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Foto: Lance!

TABELA

GALERIA

Ao ser questionado na entrevista coletiva após o clássico sobre quem poderia ser um eventual "culpado" para o meia-atacante ter sofrido a lesão já nos primeiros minutos da vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, na última quarta-feira, na Neo Química Arena, o treinador exaltou os cuidados que estão sendo tomados com o atleta desde a sua chegada ao Timão, defendeu todos os departamentos do clube e descreveu o passo a passo traçado pelo novo reforço alvinegro até a ocorrência do problema muscular mais grave com ele.

- Vamos por partes. Todo departamento é profissional, ligado e alinhado, se busca a performance do atleta e o melhor do atleta. Temos muito cuidados com todos os atletas, todos de forma geral, principalmente dos que estão chegando, porque chegam de cenários diferentes, de um clima diferente, de uma alimentação diferente. O Willian, se não me equivoco, estava há 15 anos fora do País, e nós estamos com muito cuidado conduzindo tudo - iniciou Sylvinho.

Em seguida, o comandante destacou que a cautela com Willian começou a ser adotada já na partida contra o Bragantino, fora de casa, pela 23ª rodada do Brasileirão, na qual ele precisou ser substituído na etapa final depois de ter acusado pela primeira vez um desconforto muscular.

- Em Bragança (Paulista), na volta do segundo tempo, ele reclamava de uma pequena dor no posterior (da coxa) e com, 5 minutos, 10, 12 nós o tiramos. Antes de todo este período, os treinamentos, tudo o que é feito, nós estávamos ali com lupa em todos os atletas, principalmente os que estão chegando, repito, porque chegam de cenários diferentes - completou.

Depois daquela partida no interior paulista, Willian foi escalado para jogar contra o Bahia, na Neo Química Arena, no duelo que marcou o reencontro do Timão com a Fiel após mais de 20 meses. E o meio-atacante acabou sendo substituído no intervalo após voltar a reclamar de um incômodo muscular.

- Já ele volta a jogar e contra o Bahia, no meio tempo, ele volta a ter um desconforto e nós decidimos tirá-lo naquele momento, poupá-lo, para que o atleta pudesse se reestabelecer, e dar mais uma sequência, mais um passo no seu retorno ao futebol brasileiro. Decidimos também todos juntos, como departamento, que ele não iria viajar para Recife, que teria de fazer seu tratamento, e assim foi decidido com todos, alinhado com todos e feito - prosseguiu Sylvinho, se referindo ao duelo com o Sport, na Arena Pernambuco.

Depois de sequer ter viajado para enfrentar o time de Recife, Willian voltou a ficar à disposição do treinador contra o Fluminense, depois de ter treinado normalmente nos dois dias anteriores ao jogo. Porém, nos primeiros minutos do duelo sentiu uma lesão mais séria na coxa, cuja gravidade só foi ser confirmada na tarde de sexta-feira, após exames mais detalhados.

- Na nossa volta (de Recife) o atleta já está liberado, treina numa segunda-feira um treino desgastante, difícil, bom, o que pedia aquele momento, que era para os jogadores que não tinham jogado o jogo anterior contra o Sport. O atleta faz todo o treinamento e faz bem. Na terça-feira, véspera do jogo de quarta-feira, o atleta também treina e treina bem. Era um trabalho de menos intensidade já visando o jogo. E o atleta se sentia bem para jogar, estava liberado e nós entendemos que o atleta poderia e deveria, sim, jogar, sem nenhum problema, porque todos estavam alinhados - explicou o treinador.

Na última sexta-feira, Sylvinho havia dado entrevista coletiva, na qual projetou o clássico com o São Paulo, antes de saber o resultado do exame de Willian. Por isso, precisou comentar agora sobre a gravidade da lesão do jogador, cuja ausência a partir do clássico desta segunda-feira foi lamentada pelo técnico.

- O atleta sente, sente por ter sofrido uma lesão, e infelizmente nós ficamos chateados, todos estamos chateados, porque cuidamos de todos os atletas… Não utilizo desta palavra culpado (para o problema com o jogador), uma vez que todo departamento está alinhado, está conforme, está fazendo as coisas da melhor forma possível e cuidando dos atletas da melhor forma possível. Uma vez que o atleta vai pra dentro do campo e, inclusive em treinamento, existe um risco para todos e nós queremos minimizar todos os riscos. E seguir trabalhando da melhor forma - finalizou o comandante ao falar sobre Willian.

Sem o ex-jogador do Chelsea e do Arsenal à disposição, Sylvinho escalou Adson como substituto no clássico, mas o jovem não foi bem e depois acabou dando lugar a Gustavo Mosquito. E nenhum dos substitutos foi capaz de evitar a derrota para o São Paulo, que impediu que o Timão voltasse a se aproximar do G4 do Campeonato Brasileiro - a equipe segue em sexto lugar, com 40 pontos.

Lance!
Publicidade
Publicidade