1 evento ao vivo

Saiba por que caso Bruno Méndez na Fifa não deve travar inscrição de Jô pelo Corinthians

26 jun 2020
05h20
atualizado às 05h20
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Corinthians pagou a segunda parcela referente a compra de Bruno Méndez junto ao Montevideo Wanderes no limite do prazo estipulado pela Fifa e evitou qualquer tipo de punição que pudesse ser aplicada pela entidade máxima do futebol.

Mas, uma eventual proibição na inscrição de novos atletas, algo que poderia acontecer com o Corinthians, se o clube não tivesse resolvido a pendência na última segunda-feira, não chega a preocupar os dirigentes, principalmente sobre o temor que se criou em relação a Jô.

Conforme apurou a Gazeta Esportiva, a punição inicial imposta pela Fifa nestes casos é revogada imediatamente após a quitação da pendência julgada pelo órgão.

Por exemplo, se o Corinthians não tivesse transferido o dinheiro ao Wanderes, o clube ficaria impedido de inscrever qualquer novo atleta. Mas, bastaria pagar a dívida julgada pela Fifa na semana do retorno dos campeonatos para Jô ou qualquer outro jogador receber a liberação.

Ainda assim, o Corinthians não pretende usar desta manobra, mesmo com a situação financeira comprometida e sem compromissos oficiais para o time de Tiago Nunes neste momento.

O clube vai aguardar as próximas manifestações da Fifa. Desta maneira, o Corinthians evita repercussão negativa sobre o caso, resolve a questão com o Wanderes, mas também ganha tempo para isso.

O pagamento de 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5.3 milhões) feito pelo Timão na última segunda-feira remete a segunda parcela da compra de 70% dos direitos do zagueiro uruguaio, que havia vencido em junho de 2019.

O Wanderes, agora, aguarda a Fifa sobre a terceira parcela, no mesmo valor e que deveria ter sido paga em janeiro deste ano. No próximo dia 30, vai expirar a quarta e última parte do pagamento, esta mais barata, de 500 mil dólares (aproximadamente de R$ 2.6 milhões).

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade