0
Logo do Corinthians
Foto: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians

Corinthians

Matemático critica "apressadinhos" e ainda vê Corinthians longe da taça

12 ago 2017
08h21
atualizado às 08h21
  • separator
  • comentários

O matemático Tristão Garcia estipulou que, ao final do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o Corinthians chegou a 81% de chances de ficar com o título. Também para ele, no entanto, a conta de quem já quer antever quando o campeão nacional será definido não fecha.

"Falta muito campeonato ainda, metade. Há vários apressadinhos por aí. Entendo que o Corinthians é favorito, até porque está fazendo uma campanha extraordinária, absolutamente fora do normal. Só que muita coisa pode mudar em um turno", alertou Tristão, em conversa por telefone.

Criador do site Infobola , no qual anualmente expõe os seus cálculos para o Campeonato Brasileiro, o matemático está acostumado a ser procurado por quem deseja fazer projeções sobre o torneio. O invicto Corinthians de Fábio Carille, com os seus 47 pontos ganhos em 19 jogos, fez essas consultas serem antecipadas em 2017.

"A campanha do Corinthians é de Campeonato Espanhol, uma competição sem graça, disputada por duas equipes. Isso nunca aconteceu no Brasil. Em condições normais, o Grêmio estaria fazendo uma campanha de campeão, assim como o Santos e o Palmeiras teriam grandes possibilidades. Do Flamengo para baixo…", comentou Tristão, que é gaúcho e simpatizante do Grêmio.

Com 39 pontos, oito atrás do Corinthians, o Grêmio tem 14% de chances de frustrar o líder na disputa pelo título, segundo o matemático. O Santos soma 35 e fica com apenas 2%, assim como o Palmeiras, que totaliza 32. O Flamengo parou nos 29 e só alcançou 1% porque Tristão Garcia arredondou o seu cálculo.

"O que eu quero dizer é que, se o Grêmio não abandonar o Brasileiro, vai ter campeonato. O Santos também. É um time muito bem comandado pelo Levir Culpi. Ainda há campeonato, sim. As porcentagens são essas hoje. Podem mudar com o passar das rodadas", reforçou Tristão, embora ressalve que "está tudo muito ligado a fracassos do Corinthians".

Com raros fracassos em sua ainda curta carreira e ostentando uma sequência de 34 jogos invencibilidade, o técnico Fábio Carille é tão cauteloso quanto Tristão Garcia ao avaliar as possibilidades de conquistar o título brasileiro. O pupilo de Tite sempre fala que o campeonato será decidido nas últimas dez rodadas e imaginou recentemente que seria preciso computar 72 pontos para ser campeão.

"Até hoje, a regra era a dos 76 pontos. Traduzindo, ganhando todas em casa e empatando todas fora, um time se sagrava campeão. Quem criou esse número mágico fui eu. Não falo isso para me gabar, mas para embasar o que estou falando. Hoje, esse Corinthians alterou o padrão, mas não vejo o título sendo conquistado com 90 pontos", comentou Tristão.

O matemático só não acompanha a empolgação de quem se deslumbra com a invencibilidade corintiana. "Isso é uma bobagem!", enfatizou. "Desde que a Fifa passou a adotar que uma vitória te dá três pontos, e não dois, não vale a pena pensar em invencibilidade. É algo completamente démodé . Você pode se manter invicto apenas empatando. Aí, cai na tabela. O Grêmio deveria estar torcendo para isso acontecer, pois, mesmo lentamente, estaria mais perto de alcançar o Corinthians", complementou.

O Grêmio está esperando o Corinthians "despencar", conforme o técnico Renato Gaúcho disse certa vez - e desculpou-se depois, por considerar o termo exagerado. Com a propriedade de quem acompanha o vice-líder de perto, em Porto Alegre, Tristão dá motivação para quem ainda anseia por uma reviravolta. "O Grêmio sempre briga lá em cima e era até injustiçado. Existia um marketing em cima do Inter, que não chegava, e pouco se falava do Grêmio. Agora, pode, sim, alcançar o Corinthians. Está muito parelho. O diferencial foi o resultado na Arena", apontou.

Para derrotar o Grêmio por 1 a 0 na capital gaúcha, com gol do meia Jadson, o Corinthians contou com um estilo de jogo admirado pelo ressabiado matemático. "Dá gosto de ver esse Corinthians. É uma escola bem gaúcha, o que me deixa até orgulhoso. O Carille estagiou com dois técnicos gaúchos, o Mano Menezes e o Tite", enalteceu Tristão, professor da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), antes de repetir a sua lição. "Não seria uma zebra perder o título."

"O São Paulo não deve cair"

Tristão Garcia exalta o São Paulo como o maior clube da história do Campeonato Brasileiro de pontos corridos, "graças ao empenho do ex-presidente Marcelo Portugal Gouvêa para viabilizar um campeonato com esse formato", do qual ele não gosta. Neste ano, contudo, ele estipula que o rival corintiano, na 17ª posição, tem 46% de chances de ser rebaixado para a Série B.

"Mas não consigo imaginar o São Paulo caindo de divisão. É uma possibilidade muito remota", calculou Tristão, para quem o clube do Morumbi "se deprimiu quando percebeu que estava ombro a ombro com o Corinthians, que cresceu muito a partir da construção da sua arena".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade