1 evento ao vivo

Jô admite que número de infectados pela covid-19 no Corinthians assusta

Jogador também revelou que não pôde segurar uma oferta do Corinthians em meio a um cenário de 'indefinição' global

25 jun 2020
15h11
atualizado às 16h02
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Parte das perguntas feitas ao atacante durante a entrevista coletiva desta quinta-feira, 25, que marcou sua volta ao Corinthians dizia respeito à pandemia da covid-19. O atleta revelou que o número de jogadores infectados no clube assusta, embora tenha afirmado estar tranquilo, pois acredita nos protocolos que estão sendo seguidos pela equipe alvinegra. No domingo, o clube anunciou que 21 jogadores do elenco profissional foram infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

"Isso é muito complicado. Claro que os números assustam, mas acredito que cada um que contraiu a covid-19 não quis pegá-la. Aconteceu em algum descuido. Todos estão com a mesma consciência de poder se preservar, de preservar os mais velhos e a própria família. Os números foram esses que foram divulgados, mas temos a consciência de que teremos de seguir os protocolos. Venho tranquilo. Sei que o Corinthians oferece uma estrutura muito boa e está seguindo o protocolo muito bem. Sempre oriento meus familiares. Graças a Deus, minha família não teve nenhum caso, mas não podemos nos acomodar e achar que agora está tudo certo", explicou o atleta.

Jô concorda com a volta gradual dos treinos em São Paulo, mas alerta que os jogadores não devem ser egoístas. De acordo com o atacante, é preciso proteger a todos.

"A gente sempre quer (voltar a jogar). Nós, jogadores, sempre queremos fazer aquilo que gostamos de fazer, mas não podemos pensar só na gente. Isso não afetou só o futebol, afetou o mundo e várias outras áreas. Nós não podemos ser egoístas e falar: 'Vamos voltar', mesmo com os protocolos. Temos de respeitar as etapas e continuar se cuidando. A vontade é muito grande de voltar a jogar e dar alegria para torcedor, mas existem regras e etapas. Sou a favor das coisas voltarem aos poucos. Temos familiares e amigos e temos de proteger a todos", disse Jô.

Em relação à adaptação ao "novo normal" no Centro de Treinamento, Jô revela que será uma etapa complicada, mas necessária. "Confesso que é difícil. É complicado. Temos de nos adaptar a uma série de protocolos e ter a disciplina de segui-los. Sabemos que não é só para o bem estar das pessoas que estão trabalhando aqui dentro, mas também para o bem estar de quem está fora do clube. Temos nossas famílias e amigos. É preciso seguir o protocolo direitinho, mas é difícil. Passei dois anos fora, tenho vontade de dar um abraço apertado nas pessoas, mas temos de respeitar. É tudo questão de adaptação", disse Jô.

Questionado se a pandemia teria adiantado seu retorno ao Brasil, o atacante revelou que não poderia segurar uma oferta do Corinthians em meio a um cenário de indefinição. Segundo Jô, o coração bateu mais forte.

"O mundo todo ficou em indefinição, né? Quando eu realmente me desliguei do Nagoya houve muitas especulações e o Corinthians é um clube que realmente mostrou o desejo e oficializou tudo. Então, em meio a essa indefinição, eu não poderia ficar esperando. Tenho um ótimo contrato aqui no clube e um carinho muito grande pelo Corinthians. Minha família é bem estruturada aqui dentro de São Paulo. Então, não dá para ficar pensando muito quando você tem um Corinthians em suas mãos. Tive uma decisão muito tranquila. O coração bateu mais forte", explicou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade