2 eventos ao vivo

Gustagol é sondado por clube italiano e pode deixar o Corinthians

Terceira opção como centroavante no clube do Parque São Jorge, jogador de 25 anos está na mira do Bologna

14 ago 2019
14h11
atualizado às 15h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Atual terceira opção para o comando do ataque do Corinthians, Gustagol está na mira do Bologna, da Itália. De acordo com o jornalista italiano Gianluca Dimarzio, o time brasileiro teria recusado proposta de 5 milhões de euros (R$ 22,2 milhões) e exigido o dobro do clube itaiano. Ocorre que as tratativas ainda não se encerram.

O centroavante de 25 anos foi fundamental para a conquista do Campeonato Paulista deste ano, mas perdeu espaço na equipe nos últimos meses por causa de seguidas lesões. O último gol dele pelo Corinthians foi no amistoso com o Botafogo-SP, o primeiro da pausa da Copa América, em 29 de junho. Depois, ele ficou no departamento médico para se recuperar de lesão muscular na coxa direita e voltou a ser relacionado recentemente, mas sem entrar em campo nos últimos jogos. Carille tem dado preferência a Love e Boselli.

Mesmo assim, Gustavo é o artilheiro do Corinthians na temporada, com dez gols. Ele é um grande candidato a deixar o clube. O Corinthians colocou em seu balanço financeiro da temporada a meta de arrecadar R$ 44 milhões com negociação de atletas. Como o atacante é a terceira opção de Carille, atrás de Vagner Love e Boselli, ele pode ser o escolhido para sair.

Gustagol já esteve na mira do Ajax, da Holanda, e do Porto, de Portugal, no primeiro semestre. Em junho, o centroavante renovou contrato com o Corinthians até o fim de 2022. O Corinthians tem 45% dos direitos federaticos do atleta. O Criciúma tem outros 35% e o Taboão da Serra, 20%.

O centroavante foi contratado pelo Corinthians em 2016 junto ao Criciúma. Mas na época ele não conseguiu se destacar e foi emprestado, em 2017, para o Goiás e depois ao Bahia. No ano passado, foi o artilheiro do Brasil pelo Fortaleza e voltou em alta para o clube paulista. O Corinthians ainda não se amnifestou sobre o assunto.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade