0

Corinthians tenta o improvável para seguir na Sul-Americana

Time alvinegro conseguiu apenas três vezes no ano resultado que eliminaria o Del Valle e garantiria vaga na final

25 set 2019
04h41
atualizado às 12h15
  • separator
  • 0
  • comentários

O Corinthians levou um baile em Itaquera no primeiro jogo da semifinal da Sul-Americana, segundo a definição do próprio presidente do clube, Andrés Sanchez, na derrota por 2 a 0 para o Independiente Del Valle. Hoje, às 21h30, os comandados de Fábio Carille tentarão reverter esse placar na altitude de Quito em busca de um lugar na decisão do torneio continental.

O alto custo de viver na 'terra de ninguém' do Afeganistão, entre o Talebã e o governo

A tarefa não será fácil, especialmente se forem analisados os resultados do time alvinegro na temporada. Em 69 jogos no ano, somente em três o clube conseguiu o placar que o garantirá na decisão esta noite. Para não ser eliminado, o Corinthians precisa vencer por três gols de diferença, ou por dois, contanto que balance as redes do adversário por três ou mais vezes (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3...) Isso porque na Sul-Americana existe a regra do gol fora de casa como critério de desempate.

Neste ano, o Corinthians não derrotou nenhum adversário por três ou mais gols. Mas bateu o Ceará por 3 a 1 (fora de casa, pela Copa do Brasil), o Avenida por 4 a 2 (em casa, pela Copa do Brasil) e o Fortaleza por 3 a 1 (fora, pelo Brasileirão). Carille recordou duas adversidades recentes para destacar a capacidade de reação do time.

"Como técnico, acho que estou há mais de 170 jogos aqui. O que vem na cabeça é o jogo do Avenida. Estávamos perdendo por 2 a 0 com sete minutos e viramos para 4 a 2. E o jogo do Racing lá (na primeira fase da Sul-Americana). O time deles liderando o Campeonato Argentino... Confesso que achava que não fosse passar. A gente saiu perdendo, o Racing buscava o jogo, e ganhamos nos pênaltis", comentou sobre a vitória por 5 a 4 após o tempo normal terminar 1 a 1.

Na temporada, o Corinthians tem 32 vitórias, 15 empates e 22 derrotas. Marcou 103 gols e sofreu 72, o que dá uma média de 1,4 gol por jogo, insuficiente para a classificação hoje.

O Corinthians não joga em Quito há quase 20 anos. Mas a última vez em que esteve na capital do Equador, a equipe conquistou um resultado que, se for repetido esta noite, o levará para os pênaltis. Em 11 de abril de 2000, o time alvinegro bateu a LDU por 2 a 0, gols de Luizão e Dinei, pela Libertadores.

Evolução

O presidente Andrés Sanchez foi um dos principais críticos da atuação no jogo de ida, mas tratou de acabar com qualquer boato de que uma eventual eliminação pudesse causar a demissão de Carille. E aproveitou para provocar implicitamente o Palmeiras, que foi eliminado da Libertadores.

"Se pegar o jogo com o Santos na semifinal do Paulista e o do Del Valle foram nossas piores atuações da temporada. Todo mundo sabe. Mas vamos fortíssimos tentar reverter. Se não reverter, vamos voltar para disputar o Brasileiro de cabeça erguida, como já têm outros times bilionários que estão se dedicando só a ele", disse ontem em entrevista ao SporTV.

A vaga para a final pode ajudar o clube a diminuir o déficit anual, que hoje é de cerca de R$ 100 milhões. O clube já arrecadou até agora, só em classificações no torneio, R$ 10,1 milhões. O campeão recebe mais 4 milhões de dólares (cerca de R$ 16,6 milhões na cotação atual) e o vice fica com a metade.

Ficha técnica:

DEL VALLE X CORINTHIANS

DEL VALLE: Pinos; Landázuri, Schunke, Segovia e Preciado; Franco, Pellerano e Jhon Sánchez; Mera, Dájome e Gabriel Torres. Técnico: Miguel Ángel Ramirez.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Manoel e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Mateus Vital (Sornoza); Pedrinho, Vagner Love e Clayson. Técnico: Fábio Carille.

Juiz: Piero Maza (CHI)

Horário: 21H30

Local: Olímpico Atahualpa, em Quito (EQU)

Transmissão: DAZN

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade