PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Meu time

Corinthians confia no potencial de "emprestados" para lucrar com vendas; saiba detalhes

16 set 2021 07h05
| atualizado às 07h05
ver comentários
Publicidade

Durante o mês de agosto, em meio a janela de transferências internacionais, Duilio Monteiro Alves revelou à Gazeta Esportiva a necessidade do Corinthians vender atletas para conseguir equilibrar o balanço financeiro ao fim do ano.

"Eram R$ 70 milhões (previstos no orçamento de 2021), e existe a previsão de aumento até para R$ 100 milhões de vendas", afirmou o presidente alvinegro na ocasião.

Para bater a meta, a diretoria corintiana vai ter de conseguir bons negócios após o Campeonato Brasileiro, pouco antes da virada para 2022, já que as conversas na última janela renderam apenas alguns empréstimos.

A situação preocupa, e a maior esperança no clube é de que as receitas conseguidas pelo departamento de marketing, superiores à meta inicial, supram o buraco que deve ser confirmado devido ao recolhimento de um valor inferior ao que era esperado com a comercialização de direitos econômicos de atletas.

Apesar do cenário desfavorável nesse momento, o Corinthians ainda acredita que pode levantar um bom montante com vendas em curto prazo. Mesmo que os valores não sejam contabilizados no balanço deste ano, o clube vislumbra um primeiro semestre de 2022 com mercado aquecido.

Um dos motivos para essa confiança se dá pela economia mundial, que deve apresentar crescimento e mais segurança aos investidores com o controle da pandemia do coronavírus.

Outro ponto em que a diretoria do Corinthians se apega está relacionado a jogadores emprestados, e um que já foi vendido. Alguns vivem boa fase, outros tiveram inícios promissores em suas respectivas equipes, e a maioria têm valor de passe fixado.

Veja exemplos de jogadores que o Timão enxerga potencial para conseguir receita em breve:

Bruno Méndez (emprestado ao Internacional)

Valor de compra: 6 milhões de dólares por 50%.

Mateus Vital (emprestado ao Panathinaikos)

Valor de compra: 4 milhões de euros por 50%.

Éderson (emprestado ao Fortaleza)

Valor de compra: não revelado / Corinthians espera receber R$ 25 milhões

Sornoza (emprestado ao Independiente del Valle)

Valor de compra: 5 milhões de dólares por 100%.

Ramiro (emprestado ao Al Wasl)

Valor de compra: 4 milhões de dólares por 70%.

Léo Natel (Emprestado ao Apoel)

Valor de compra: 2,5 milhões de euros por 70%

Jonatha Cafu (emprestado ao Cuiabá)

Valor de compra: não revelado

Matheus Davó (emprestado ao Philadelphia Union)

Valor de compra: não revelado / Corinthians pagou R$ 2,4 milhões por 50%

Carlos Augusto (vendido ao Monza)

Corinthians vendeu por 4 milhões de euros e receberá 60% do lucro de uma eventual futura venda.

Ao todo, o Corinthians tem 19 jogadores emprestados a outros clubes. Alguns nomes não estão entre os mais credenciados para boas vendas a curto prazo, mas podem se tornar agradáveis surpresas para a diretoria alvinegra. São eles: Matheus Jesus, Caetano, Fessin, André Luíz, Janderson, Everaldo, Madson e Rodrigo Varanda.

Se conseguir bons negócios com atletas que já não fazem parte do elenco, o Corinthians pretende fazer um esforço para não tirar de Sylvinho nenhum de seus titulares. Essa hipótese, porém, não está descartada.

Como a Gazeta Esportiva mostrou, Duilio Monteiro Alves espera repetir a estratégia de enxugar o elenco, e principalmente a folha salarial, para contratar reforços pontuais e de alto nível em 2022, como fez em seus primeiros sete meses de mandato.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade