2 eventos ao vivo

Coelho diz que Cazares larga na frente por vaga e que técnico "não pode ser dono do clube"

28 set 2020
23h07
atualizado às 23h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Grande reforço do Corinthians para o seguimento da temporada, Cazares está liberado para defender o Timão e vive a expectativa da estreia. No comando interino da equipe, Dyego Coelho afirmou que o equatoriano está na frente na briga pela titularidade, mas terá que mostrar dentro de campo.

"A mesma conversa que eu tive com o Cazares eu vou falar agora. Ele chegando aqui vai ter que jogar bola, e a gente sabe que ele joga bola. Ele vai ter o espaço dele aqui demonstrando no campo, isso que ele falou que ia fazer e isso que espero dele", contou em entrevista publicada na CorinthiansTV, com perguntas enviadas por torcedores.

"É um jogador diferenciado, tem qualidades acima da média, tem condições de ser titular absoluto do time, então é só ele aproveitar as chances dele. Sai na frente porque realmente tem uma qualidade acima e esperamos colocar ele em uma posição onde ele renda mais e traga alegrias, não só para o torcedor, como para a gente aqui dentro", completou.

Coelho também foi questionado sobre a possibilidade de montar um trio de meio-campo com Otero, Luan e Cazares, e não descartou a possibilidade.

"Jogador bom tem que jogar junto sempre. Luan, Jô, Cazares, Vital, Otero, Léo (Natel) são jogadores que temos de muita importância lá na frente. A gente tem que quebrar a cabeça para colocar esses caras na melhor posição dentro de campo e isso que vamos procurar fazer", contou.

Estilo de comando

Pelo secundo ano consecutivo assumindo o time do Corinthians, Coelho dividiu como enxerga seu papel como comandante e como espera ser visto pelo grupo de jogadores.

"Não podemos tratar os jogadores da mesma maneira. E isso que procuramos passar, dar atenção para todo mundo. Ser comandante não é ser dono do clube, você precisa confiar nas pessoas que estão ao seu redor e os jogadores precisam confiar nessas pessoas", disse.

"O Corinthians é maior que todo mundo, então a maneira de comandar é com muita parceria, dedicação, verdade, tratando os jogadores com respeito, o staff sendo respeitado. Se todo mundo gostar do comandante o clube tem uma situação melhor de vitória. Eles acreditam em mim, eu acredito neles e é isso que procuro passar para eles", encerrou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade