PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Meu time

Carlos Leiria, ex-treinador da base do Corinthians, elogia jovens promovidos e deixa recado: "Clube fantástico"

13 jun 2021 08h23
| atualizado às 08h23
ver comentários
Publicidade

O técnico Carlos Leiria deixou as categorias de base do Corinthians recentemente para treinar o San Francisco, tradicional equipe da primeira divisão do Panamá. O treinador de 37 anos chegou ao Timão em 2018 e teve passagens pelo sub-15, sub-17 e sub-20 do Alvinegro, ficando marcado pelo seu perfil estudioso, com uma filosofia de jogo ofensiva.

"Vi com bons olhos o convite (do San Francisco), especialmente porque é uma equipe de tradição no Panamá. Além disso, eu tenho um bom período agora para poder preparar a equipe para o começo do campeonato, tendo em vista que na última temporada a equipe não foi bem. É um time que tem jogadores de seleção, tem bons jogadores da Colômbia também… O desafio de abrir um mercado novo, somado ao período que eu vou ter pra preparar uma equipe fez com que eu aceitasse o convite do clube para iniciar os trabalhos até o ano que vem", disse o treinador em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Leiria ficou em evidência para o grande público na temporada de 2020, quando assumiu o sub-20 do Corinthians no momento que Dyego Coelho comandou interinamente o profissional após a queda de Tiago Nunes. No período em que comandou o Timãozinho, o time teve 80% de aproveitamento e foi líder do Campeonato Brasileiro da categoria.

"Esse período no sub-20 me trouxe novamente uma possibilidade de disputar uma competição nacional. Eu tinha disputado a última vez com o Ceará, em uma Copa do Brasil sub-20 e antes disso eu estava no profissional do Resende. Pela minha característica e por gostar também do trabalho formativo em categorias maiores, foi um período muito bom para mim", revelou o treinador.

Alguns jogadores que subiram recentemente para o profissional do Timão tiveram contato direto com Leiria em 2020, como Luis Mandaca, Cauê, Vitinho, Adson e Felipe Augusto. O treinador falou sobre essa nova fase do Corinthians, que tem buscado integrar mais os jovens da base ao elenco do profissional.

"Cauê foi artilheiro do Campeonato Brasileiro sub-17 de forma isolada, salvo um engano meu. Já havia se destacado no Novorizontino, se mostrando um goleador. Confirmou no sub-20, fez muitos gols, o que não é normal para um jogador no primeiro ano. Ele carimbou a presença no profissional, fez por merecer estar lá. Eu trabalhei com o Felipe (Augusto) desde o infantil, ele foi artilheiro do Paulista, fez gol importante na estreia do Brasileiro sub-20, com 16 anos. Logo, ele se credencia para estar no profissional, no meu ponto de vista. Não só pelos gols, mas pela capacidade do jogador", elogiou.

(Foto: Divulgação/Corinthians)
(Foto: Divulgação/Corinthians)
Foto: Gazeta Esportiva

"O Corinthians tem um jogador de rara habilidade que é o Adson, considero um jogador fantástico. Está começando a ganhar minutos no profissional, agora compete à direção e comissão técnica avaliar quanto tempo o jogador vai levar para se adaptar no time de cima. Não é um processo simples o jogador já chegar adaptado ao jogo profissional, que tem suas diferenças em relação ao jogo do sub-20″.

"Temos também o Vitinho, um meia armador de muita qualidade técnica, muito inteligente. O Luis Mandaca é um volante que chegou, ganhou o espaço dele, é muito comprometido, concentrado. Tem uma entrega para o  jogo, tenho certeza que a torcida do Corinthians vai adorá-lo quando ele estiver jogando, seja no profissional ou no sub-20, já que faz parte do processo do jogador treinar no profissional e fazer jogos na categoria inferior", completou.

Leiria fez um saldo final de sua passagem no Timão e disse que deseja um dia retornar ao clube. "O Corinthians é um clube fantástico, adorei esse período que trabalhei por lá, tem uma estrutura muito boa, tive condições de trabalhos muito boas. O clube foi meu parceiro quando fui fazer meu mestrado em Portugal, ele investiu na minha qualificação profissional. Saio mas com um desejo de retorno no futuro, porque é muito bom trabalhar no Corinthians, tive uma aceitação muito boa com a torcida, especialmente no sub-20, teve uma sinergia. Vou guardar esse clube com muito carinho pelo resto da vida".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade