PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Favoritar Time

Análise: Corinthians faz de novo dois tempos distintos e poderia ter sido eliminado da Libertadores

27 mai 2022 07h02
ver comentários
Publicidade

Por Marina Bufon

O Corinthians não foi bem e poderia ter sido surpreendido pelos reservas do Always Ready na noite da última quinta-feira, pela sexta e última rodada da Libertadores. Com o empate por 1 a 1, a equipe avançou para as oitavas de final na segunda colocação, atrás do Boca Juniors, que venceu o Deportivo Cali.

Para começar, a escalação foi surpreendente, até mesmo para o técnico adversário, Eduardo Villegas, que disse esperar um time com força máxima na coletiva de imprensa. O torcedor também pensou isso.

Foram a campo Ivan (Cássio foi cortado do banco), Robson, Gil, Lucas Piton, Gustavo Mantuan, Roni, Maycon, Giuliano, Gustavo Silva, Adson e Júnior Moraes. Na prática, Mantuan e Piton ficaram nas laterais e todo o time foi para a frente, buscando o gol.

No entanto, o primeiro lance de perigo foi do Always Ready, em desvio de Torrez. Ivan conseguiu realizar uma bela defesa. Depois disso, o Corinthians ficou com a bola e, mais que isso, criou com ela, chegando principalmente pelos lados.

Robson e Gil foram os únicos que ficaram mais para trás, com os laterais retornando nos momentos defensivos. Depois de duas chegadas, com Mantuan (impedido) e Giuliano, Adson conseguiu abrir o marcador após passe açucarado (mais uma vez) do camisa 11, o líder em assistências na temporada, com seis.

Apesar de errar muitos passes, os donos da casa seguiram no ataque e buscando o segundo gol - ele até chegou, mas foi marcada uma falta, e o tento de Júnior Moraes foi anulado. Surpreendentemente, o Always Ready, que havia assustado no primeiro minuto, não só assustou como empatou o jogo perto do final do primeiro tempo.

Em falha bizarra de Robson Bambu, que saiu errado e foi desarmado por Gustavo Torrez, Borja aproveitou e estufou as redes. O clube não merecia, pelo que apresentou no primeiro tempo, o empate, mas a falha individual presenteou os bolivianos.

No retorno do intervalo, com as entradas de Renato Augusto, Willian e Jô já com a bola rolando, o Corinthians parecia mais nervoso. Os bolivianos se fecharam completamente na defesa, sem levar nenhum tipo de perigo, enquanto o Corinthians carimbou a trave em uma oportunidade com Willian e depois com o próprio Bambu.

Após pedidos da torcida, Róger Guedes foi colocado em campo, mas pouco conseguiu fazer jogando pelo lado direito. Jô saiu lesionado e, então, ele passou para a referência do ataque, também outra posição que não gosta de exercer. Quase chegou em uma bola, mas não conseguiu.

O Corinthians, mais uma vez, apresentou-se de formas diferentes nos dois tempos. Apesar de ter errado muito, foi bem na primeira etapa, mas mal na segunda - a sorte também não estava do lado alvinegro e o goleiro adversário trabalhou bem no final. Por pouco, o clube não passou por um dos piores vexames recentes - ser eliminado, em casa, por um time reserva da Bolívia que já estava eliminado da competição.

Vale lembrar que o Alvinegro não venceu o Always Ready - em dois confrontos, uma derrota (a única na competição) e o empate. A torcida vaiou, com razão, no final do duelo. Os jogadores titulares não poderiam ter sido poupados para esse compromisso, ainda mais que no próximo domingo não há nenhum clássico ou jogo de grande peso.

Ficou claro, portanto, que o Corinthians está priorizando, sim, o Campeonato Brasileiro e que, para avançar para as quartas de final, vai ser necessário muito trabalho. Muito mesmo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade