0

Conmebol ignora protestos e confirma final em Santiago

25 out 2019
12h40
atualizado às 13h01
  • separator
  • 0
  • comentários

A final da Copa Libertadores será realizado em Santiago no próximo mês como previsto, informou nesta sexta-feira a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), apesar dos protestos que abalam a capital chilena.

Foto: Reuters

"Reafirmamos nosso compromisso de celebrar a Final Única da Conmebol @Libertadores 2019 no Estádio Nacional de Santiago do Chile no próximo 23 de novembro", disse a confederação a cargo do futebol sul-americano no Twitter.

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, disse à Rádio Monumental do Paraguai, onde se encontra a sede da organização, que Santiago continua sendo o cenário da partida entre Flamengo e River Plate.

"Vão se recuperar do que estão vivendo", comentou, referindo-se aos protestos violentos vistos na cidade durante vários dias.

O site da Conmebol também deu detalhes de como comprar ingressos e disse que 12.500 serão destinados às torcidas de cada um dos finalistas.

Protesto contra o modelo econômico chileno em Santiago
24/10/2019
REUTERS/Edgard Garrido
Protesto contra o modelo econômico chileno em Santiago 24/10/2019 REUTERS/Edgard Garrido
Foto: Reuters

Os distúrbios que irromperam em reação a um aumento dos custos do transporte público provocaram dias de saques e ataques incendiários que levaram à prisão de mais de 6 pessoas e deixaram ao menos 16 mortos em um dos países mais ricos e tradicionalmente mais estáveis da região.

Este ano é o primeiro em que a final da Copa Libertadores será decidida com um único jogo. Anteriormente o campeão era definido em partidas de ida e volta nos estádios os clubes finalistas.

A partida de volta da final do ano passado entre os argentinos River Plate e Boca Juniors foi suspensa depois que o ônibus destes últimos foi atacado com pedras nos arredores do Estádio Monumental. A decisão foi realizada posteriormente em Madri.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade