PUBLICIDADE

Circuito Mundial de Surfe inicia com etapa em Pipeline; saiba onde assistir

Ausência de Gabriel Medina nas etapas iniciais promete acirrar ainda mais a disputa pelo título da WSL. Brasil segue com nomes entre os favoritos no masculino e no feminino.

28 jan 2022 23h21
| atualizado às 23h55
ver comentários
Publicidade

O Circuito Mundial de Surfe da WSL dá o pontapé inicial de sua nova temporada neste sábado (29), em Pipeline, no Havaí. O local é considerado a meca do esporte de prancha por conta de suas ondas grandes, tubulares e quase sempre perfeitas. O começo em Pipe é uma das novidades no calendário, tendo em vista que a etapa geralmente marca o encerramento do circuito. Outra novidade é a ausência de Gabriel Medina nas primeiras etapas do circuito. Atual campeão e tri mundial, o brasileiro justificou sua ausência alegando problemas físicos e psicológicos. O surfista terminou recentemente seu casamento com Yasmin Brunet.

John John Florence, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo despontam como principais favoritos ao título do Circuito Mundial - Fotos: AFP; AFP; Divulgação / WSL
John John Florence, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo despontam como principais favoritos ao título do Circuito Mundial - Fotos: AFP; AFP; Divulgação / WSL
Foto: Lance!

Sem sua principal estrela neste início, o circuito abre espaço para nomes como Ítalo Ferreira, atual campeão olímpico, e Filipe Toledo, derrotado por Medina na decisão do ano passado, seguirem com o legado de títulos do Brasil nos últimos anos. De 2014 para cá, o 'Brazilian Storm' conquistou cinco títulos: além dos três de Medina (2014, 2018 e 2021), o próprio Ítalo levou o caneco uma vez (2019), além de Adriano de Souza, o Mineirinho (2015). Em 2020 as competições foram paralisadas devido a pandemia da Covid-19, enquanto que em 2016 e 2017 o havaiano John John Florence levou o bicampeonato. Este, inclusive, deve ser o principal concorrente dos brasileiros na temporada.

No feminino, o Brasil conta com Tatiana Weston-Webb, vice-campeã em 2021. A surfista teve ótimos resultados na última temporada e promete incomodar as multicampeãs Sthepanie Gilmore (heptacampeã), da Austrália, e Carissa Moore (pentacampeã), dos EUA.

O FORMATO

Em 2021, a WSL decidiu inovar no modelo de disputa do circuito, que será repetido em 2022. Além dos 'pontos corridos' - o campeão era quem somasse mais pontos dentro das etapas ao longo da temporada -, foi adotado o formato de 'WSL Finals'. Assim, os surfistas seguem somando pontos para formar um ranqueamento, com os cinco melhores colocados, tanto no masculino quanto no feminino, seguindo para um duelos eliminatórios. Apenas o melhor classificado já se garante na grande final, enquanto os outros definem o desafiante da decisão.

NOVIDADES

Pela 1ª vez na história do Circuito Mundial, homens e mulheres terão as mesmas premiações e o mesmo calendário, ou seja, todos disputarão 10 etapas, tanto no masculino quanto no feminino. Também será a 1ª vez das mulheres surfando as ondas de Pipeline.

ONDE ASSISTIR

A previsão é de que a 1ª chamada de abertura para a competição em Pipeline aconteça a partir das 14h (horário de Brasília). A WSL, através de seu site, pelo aplicativo e pelo seu canal do YouTube, transmite o evento. O Grupo Globo também exibirá as emoções do Circuito Mundial através do Sportv, do Globoplay e do GE.

BATERIAS DOS BRASILEIROS EM PIPELINE - 1ª FASE

- MASCULINO

Griffin Colapinto (EUA), Miguel Pupo (BRA), Jackson Baker (AUS)

Italo Ferreira (BRA), Liam O´Brien (AUS), Matthew McGillivray (AFR)

Filipe Toledo (BRA), Connor O´Leary (AUS), Barron Mamiya (HAV)

Jordy Smith (AFR), Jadson André (BRA), João Chianca (BRA)

Jack Robinson (AUS), Deivid Silva (BRA), Samuel Pupo (BRA)

- FEMININO

Tatiana Weston-Webb (BRA), Gabriela Bryan (HAV), Malia Manuel (HAV)

Lance!
Publicidade
Publicidade