0

Há quatro anos, Danilo virava 'herói' e Chapecoense se classificava para a final da Sul-Americana

Classificação inédita foi interrompida por acidente trágico que vitimou 71 pessoas

23 nov 2020
14h39
atualizado às 14h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Há exatos quatro anos, a Chapecoense se classificava pela primeira vez para a final da Copa Sul-Americana, em um dos dias mais importantes e felizes da história do clube catarinense. Em um confronto emocionante diante do San Lorenzo, na Arena Condá, mais de 17.000 torcedores presenciaram o goleiro Danilo "virar herói" com uma defesa espetacular, que classificou a equipe, mas também acabou dando início a uma das maiores tragédias da história do esporte. Foi justamente no voo que levava a delegação da Chape para a Colômbia, para a decisão com o Atlético Nacional, que o avião caiu e causou a morte de 71 pessoas.

Aos 48 minutos do segundo tempo, Danilo bloqueou um chute à queima-roupa do atacante Blandi. A defesa garantiu o placar empatado em 0 a 0, o suficiente para o clube alviverde garantir sua vaga inédita na decisão contra do Atlético Nacional. O desfecho, infelizmente não foi feliz como o momento da classificação. Na semana seguinte, o avião que levava os jogadores da Chapecoense à Colômbia caiu há cerca de 50 quilômetros do aeroporto de Medellín.

Dentre os 77 tripulantes, que dividiam-se entre jornalistas e a delegação do time catarinense, apenas seis sobreviveram: os atletas Alan Ruschel, Jakson Follmann e Neto, o jornalista Rafael Henzel, a comissária Ximena Suarez e o técnico da aeronave, Erwin Tumiri. O goleiro Danilo chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Essa era segunda competição internacional que a Chapecoense disputava em seus 43 anos de existência. A chegada à final do torneio era fruto de uma boa gestão financeira, que, aos poucos, elevou o futebol do clube catarinense. Em 2015, a equipe já havia dado um salto de desempenho, mas parou nas quartas de final diante do River Plate. No ano seguinte, durante uma campanha histórica, o desfecho da decisão foi interrompido.

Apesar da final não ter acontecido, o título da temporada 2016 da Copa Sul-Americana foi concedido à equipe catarinense. No dia 30, data em que o primeiro jogo aconteceria, o Atlético Nacional lotou seu estádio com cerca de 30 mil torcedores em homenagem às vítimas da tragédia. A classificação foi lembrada pela Chapecoense em seu Twitter.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade