PUBLICIDADE
Logo do

Seleção Brasileira

Meu time

Branco fala em "levar os melhores" à Olimpíada

Atual coordenador de base da CBF cogita goleiro acima de 23 anos

20 abr 2021
00h26 atualizado às 07h41
0comentários
00h26 atualizado às 07h41
Publicidade

Neste ano, a Seleção Brasileira de futebol vai em busca da sua segunda medalha de ouro consecutiva nas Olimpíadas. E conforme destacou o ex-jogador Branco, que está de volta aos trabalhos após se recuperar da covid-19, o Brasil vai com força máxima para o Japão.

Branco afirmou que a CBF já conversa com os clubes para liberarem seus jogadores
Branco afirmou que a CBF já conversa com os clubes para liberarem seus jogadores
Foto: Marcos Vidal / Futura Press

Nesta segunda-feira, o atual coordenador de base da CBF revelou que já realizou diversas reuniões com o técnico André Jardine e a sua comissão.

"Temos nos reunido todas as semanas e está praticamente tudo definido. Nosso planejamento está muito adiantado. Garanto para vocês que vamos com três seleções fortíssimas (Olimpíadas e Copa América)…se tratando das duas masculinas, com certeza a gente vai forte. Está muito adiantado o planejamento e a formatação - a olímpica com 18 e a principal, na Copa América, com 23 jogadores", disse ao SporTV.

Para a disputa dos Jogos Olímpicos, além dos 18 atletas com idade inferior ou igual a 23 anos, as seleções também podem levar três jogadores com idade superior ao limite. Segundo Branco, a equipe brasileira irá usar esta cota e esses nomes estão sendo muito bem analisados pelo Jardine.

A tendência é que uma desta vagas seja ocupa por um goleiro. Em 2016, o nome escolhido pelo então técnico Rogério Micale para defender a meta foi o Weverton. O atual arqueiro do Palmeiras brilhou na ocasião e está novamente entre os cotados para vestir a amarelinha.

"Vamos ter três jogadores acima dos 23 anos, não tenha a menor dúvida. Já conversamos sobre isso e com certeza vamos levar três jogadores acima da idade. Temos algumas situações e goleiro é uma delas, estamos pensando seriamente em convocar um goleiro de muita qualidade, experiente. É um caminho", comentou.

"Um jogador polivalente, como um meia na lateral, ou na zaga. Isso o André Jardine está trabalhando com a comissão, pelo número de jogadores vamos ter que usar esse tipo de atleta, para dar mais opções. Já temos uma base muito forte e consolidada nestes dois anos de trabalho, vamos fechar esse quebra cabeça com o André. Vamos levar os melhores", destacou.

Um grande problema que as federações enfrentam, no entanto, é que os clubes não são obrigados a liberar os seus jogadores para as Olimpíadas, já que não é uma competição da Fifa. Mesmo assim, Branco destacou que a CBF já tem conversas adiantadas com as equipes para que não haja esse problema.

"Os clubes não obrigados a liberar para a Olimpíada, mas nós já estamos bem adiantados em termos de relacionamento. E dentro disso, tem o desejo dos jogadores de disputar uma olimpíada. Nosso time tem muita qualidade. Começamos um trabalho olímpico dois anos atrás, em Toulon, quando ganhamos. Esse trabalho, em dois anos, cedeu 10 jogadores para a Seleção principal - dando uma oxigenada no trabalho do Tite e da comissão. E com certeza vão ter outros jogadores que ainda não foram e vão ser convocado", analisou.

"Então, a Seleção Olímpica vai estar muito forte, já estamos tendo esse trabalho de relacionamento para liberar os jogadores e é o que eu conversei com o presidente Rogério Caboclo hoje - vamos com as seleções muito fortes, Copa América e Olimpíada, a gente quer ganhar tudo e o desejo é esse pela qualidade dos jogadores, estamos com uma expectativa muito grande", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade