PUBLICIDADE
Logo do

Botafogo

Meu time

Com dúvidas por lesões, Botafogo pode testar meio com novas funções

Pedro Castro e Romildo, com diferentes problemas físicos, não estão garantidos para a partida contra o Remo e Chamusca tem a opção de dar novas características ao setor

9 jun 2021 06h02
| atualizado às 06h02
ver comentários
Publicidade

Ainda é quarta-feira, mas Marcelo Chamusca já tem dores de cabeça para montar o meio-campo do Botafogo visando a partida contra o Remo, no próximo domingo, pela Série B. O treinador não sabe se poderá contar com Pedro Castro, titular no triunfo diante do Coritiba no último fim de semana, e Romildo, que também já iniciou partidas com o técnico.

Com ausências no meio, Barreto pode ganhar espaço (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Com ausências no meio, Barreto pode ganhar espaço (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

O primeiro sente um desconforto na panturrilha direita - inclusive, teve que ser substituído no decorrer da partida contra o Coxa por dores. O segundo possui tendinite na panturrilha da perna esquerda. Ambos em tratamento, mas não tem presença garantida para o duelo contra o Remo. Isto, portanto, dá abertura para Marcelo Chamusca testar novas facetas para o meio-campo.

Vale lembrar que a dupla de volantes escalada na vitória sobre o Coritiba foi Luís Oyama com o próprio Pedro Castro. Um meio-campo leve, com dois jogadores que não possuem características mais voltadas e um aspecto defensivo - o primeiro, inclusive, mesmo atuando como o volante de "contenção", se destacou pelos passes e lançamentos dados.

Marcelo Chamusca tem duas opções: manter o meio-campo com uma estrutura mais leve, mantendo a intenção de ter passadores e atletas que seguram a bola; ou uma mudança estrutural, trazendo um jogador de cunho mais defensivo ao gramado - neste sentido, Barreto, recém-contratado junto ao Criciúma, pode entrar em evidência.

O atleta, que ainda não estreou pelo Botafogo, é conhecido por ser um "cão de guarda" no sistema defensivo justamente por proteger a dupla de zagueiros e se comportar como o primeiro jogar à frente da primeira linha de defesa.

Se optar em manter as mesmas características da última partida, Ricardinho, na teoria, é a primeira opção para Marcelo Chamusca. O fato é que o treinador terá que decidir como repelir o Remo e escolher a melhor estratégia visando a segunda vitória seguida para o Botafogo no Brasileirão.

Lance!
Publicidade
Publicidade