PUBLICIDADE
Logo do

Botafogo

Meu time

Chamusca dispara contra arbitragem após revés do Botafogo: 'O que aconteceu beira o absurdo'

Treinador diz que Alvinegro perdeu para o Náutico, por 3 a 1, por 'interferência da arbitragem' e vê bom desempenho da sua equipe: 'Fomos mais assertivos'

20 jun 2021 19h38
| atualizado às 19h48
ver comentários
Publicidade

A primeira derrota do Botafogo na Série B não foi bem digerida pelo técnico Marcelo Chamusca. Em entrevista coletiva neste domingo após o 3 a 1 sofrido para o Náutico, pela quinta rodada da competição, o comandante alvinegro reconheceu o bom momento do Timbu, mas não poupou críticas à maneira como a arbitragem conduziu o jogo.

'Tivemos na maior parte o controle do jogo, as melhores chances', diz Chamusca (Foto: Wilson Castro/W9 Press/LancePress!)
'Tivemos na maior parte o controle do jogo, as melhores chances', diz Chamusca (Foto: Wilson Castro/W9 Press/LancePress!)
Foto: Lance!

- O resultado é ruim, mas dentro da normalidade da Série B. O Náutico não é líder por acaso. Perdemos com interferência da arbitragem. O que aconteceu aqui hoje fora do campo beira o absurdo - e detalhou:

- Tinha representante da Federação Pernambucana escondendo a bola. No intervalo, o árbitro não conseguiu sair pelas pressões. No segundo tempo, ele marcou dois pênaltis. A competição é assim - completou.

O técnico ainda enumerou os lances da arbitragem que contesta na partida.

- No início de jogo, ele expulsou Hélio dos Anjos (técnico do Náutico) sem nenhum motivo. Daí em diante ele começou a dar cartão de forma aleatória sem nenhum critério. Ele deu um cartão para o Warley por ter colocado o braço no rosto do jogador do Náutico, depois o Kieza fez o mesmo e ele foi conversar com o Kieza. Na parte disciplinar, horroroso. Na parte técnica: não foi escanteio no primeiro gol que sofremos, quem chutou a bola foi o jogador do Náutico. O gol resultou de escanteio que não existiu - declarou.

Aos seus olhos, o Alvinegro teve bons momentos nos Aflitos. No entanto, o Náutico soube aproveitar melhor as oportunidades.

- Nós tivemos uma boa atuação. Se você observar a estatística, nós fomos mais assertivos. Finalizamos mais no alvo do que o adversário. O Náutico finalizou quatro vezes, com dois pênaltis. O Botafogo acertou oito finalizações. Tivemos na maior parte o controle do jogo, as melhores chances - e, novamente, falou sobre um erro de arbitragem:

- No escanteio que o árbitro deu, eles foram felizes e fizeram o gol. Náutico tem bom batedor e jogadores que ocupam o espaço e atacam a bola. Se a gente for falar de desempenho, saio com sentimento positivo. A gente performou, competiu, teve espírito - encerrou.

Outra queixa é em relação aos dois pênaltis marcados para o Náutico.

- O primeiro pênalti é de interpretação, mas tudo bem, podemos falar que o PV foi imprudente, mas o segundo a bola estava fora quando houve o contato. Quando a bola sai o jogo para, isso é uma regra básica do futebol. Arbitragem muito ruim, esse árbitro (Wanderson Alves de Sousa) apitou final do Campeonato Mineiro, conseguiu fazer lambança, que os dois times, Atlético-MG e América-MG, ficaram insatisfeitos. O cara conseguiu apitar mal um jogo que tinha VAR. Um mês depois o cara está apitando um jogo tão importante como Náutico x Botafogo e fazendo lambança. É muito complicado a gente falar sobre o jogo quando o árbitro tem interferência direta no resultado - disse.

Como o seu jogo diante do CSA no meio de semana foi adiado, o Botafogo volta a campo no sábado, quando medirá forças com o Sampaio Corrêa, no Castelão (MA). O Alvinegro está com oito pontos na Série B.

Lance!
Publicidade
Publicidade