1 evento ao vivo

Autuori revela que Marcinho não deve seguir no Botafogo

14 mai 2020
17h21
atualizado às 17h21
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Botafogo tem buscado manter seus principais jogadores no elenco para o prosseguimento da temporada. No entanto, o técnico Paulo Autuori revelou que dificilmente o lateral direito Marcinho irá permanecer no clube ao final de 2020.

"Ele acha que o ciclo dele está a se encerrar e gostaria de novos ares. Ele tem um carinho enorme pelo clube. É um profissional com um nível muito alto. Isso aconteceu no Santos com o Gustavo Henrique: ficou 11 anos no clube, renovou três vezes, chegou um momento e escolheu o destino", disse ao canal do jornalista Napoleão de Almeida no YouTube.

(Foto: Divulgação/Vitor Silva)
(Foto: Divulgação/Vitor Silva)
Foto: Gazeta Esportiva

O comandante ainda falou da possibilidade do Botafogo conseguir a contratação de mais um jogador conhecido mundialmente. O clube contratou o japonês Honda no início deste ano. O treinador destacou especificamente da chance do marfinense Yaya Touré vestir a camisa alvinegra.

"Sou pragmático, trabalho com a realidade. As torcidas necessitam de nomes, de ídolos, e a vinda do Honda foi surpreendente da maneira como aconteceu. Teve o Seedorf num passado recentíssimo. O clube guarda isso como característica. O Yaya é uma realidade, sim. Não sou sócio do clube do "se". A situação do Yaya Touré ocorreu e tem a possibilidade de vir. É um nome forte, já é um jogador com idade e a ideia é que possa se autofinanciar. O programa de sócio-torcedor com o Honda proporcionou o clube a pagar alguns salários e poder investir. A ideia é ter um jogador com qualidade, com peso, e que possa render, trazer performance para a equipe", declarou.

Por fim, Autuori destacou também que o retorno das atividades nos clubes ainda não pode ser discutido perante o atual estágio da pandemia de coronavírus no Brasil.

"Nenhum clube está preparado para voltar, o Brasil não está preparado. Futebol é vida, às vezes querem colocar o futebol numa redoma. E temos que preservas as vidas. Por que os testes para a equipe de futebol? Tem que testar vários dias. Você vê jogadores, membros da comissão, são os mais privilegiados, mas e aqueles que trabalham no apoio, em diversas áreas? São muitas pessoas envolvidas. Nós somos a ponta do iceberg", concluiu.

Enquanto não volta aos treinos presenciais, o elenco do Botafogo segue com os trabalhos virtuais. A diretoria já adiantou que só vai programar a reapresentação dos atletas após a liberação por parte das autoridades.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade