PUBLICIDADE

Quin Snyder: "Adoro que Wade dê orientações a Mitchell"

Técnico do Jazz dá liberdade para que ídolo e sócio minoritário da franquia dê conselhos para astro do time até durante jogos

10 jun 2021 15h29
| atualizado em 14/6/2021 às 00h59
ver comentários
Publicidade

Um dos momentos mais curiosos da reta inicial das semifinais de conferência aconteceu na última terça-feira. O primeiro jogo da série entre Utah Jazz e Los Angeles Clippers foi marcado pela imagem de Donovan Mitchell recebendo orientações e dicas do ídolo Dwyane Wade à beira da quadra - e, diferente do que se pode imaginar, Quin Snyder adorou ver a interação. O treinador da equipe de Salt Lake City revelou que aprova que o futuro membro do Hall da Fama dê conselhos ao jovem astro até durante jogos.

Dwyane Wade e Donovan Mitchell
Dwyane Wade e Donovan Mitchell
Foto: Adam Pantozzi/AFP / Jumper Brasil

"Eu não fico fazendo perguntas sobre o que conversam, sabe? Tenho confiança de que todos estamos alinhados aqui e, provavelmente, há conselhos que o Dwyane é muito mais capaz de dar a Donovan do que eu. Ter alguém com esse nível de experiência e inteligência tão perto é um recurso precisamos aproveitar. No final das contas, adoro que dê orientações e ajude-o sempre que possível", celebrou o técnico, em entrevista coletiva após a vitória por 112 a 109 sobre os angelinos.

Wade tem sido uma presença constante em jogos do Jazz nos últimos meses, depois que foi anunciado como sócio minoritário do grupo que acaba de adquirir a franquia. A maior presença no dia-a-dia do time de Utah só vem a fortalecer a relação do ex-ala-armador com Mitchell, de quem tornou-se um mentor e amigo na NBA. O ídolo do Miami Heat, inclusive, já afirmou que o jovem é o atleta da atualidade que mais o faz lembrar de si mesmo no basquete profissional.

"É ótimo ter alguém que eu considero um irmão à beira da quadra, como uma parte da organização, auxiliando-me a encontrar maneiras de melhorar como jogador. Ele tem sido uma ajuda não só para mim, mas para todos nessa equipe. Sou agradecido que Dwyane faça isso porque nem todos os ex-jogadores estão dispostos a compartilhar dessa forma, especialmente em uma partida de playoffs ao vivo", elogiou o provável integrante de um dos quintetos ideais da temporada.

Snyder garante que não vê nenhuma ingerência em potencial na maneira como Wade, por exemplo, abordou Mitchell no primeiro jogo contra o Clippers. Mas a incondicional aprovação pode ter uma outra razão também: essa interação com a lenda da NBA não está sendo apenas aproveitada pelo ala-armador. O próprio comandante admite que mantém contato com seu novo "chefe" em busca de algumas orientações específicas - até menos do que gostaria, na verdade.

"Eu já pedi para que Dwyane analisasse algumas coisas para mim também. Trocamos algumas mensagens, mas não quero sobrecarregá-lo porque sei que é um cara muito ocupado. Tem sido realmente ótimo tê-lo como um 'conselheiro' para certas questões aqui. Tento não ser lá tão impertinente, como eu disse, mas ele é inacreditavelmente receptivo a tudo que solicitamos", contou o experiente treinador, também usando o que o sócio da equipe pode oferecer.

Jumper Brasil
Publicidade
Publicidade