PUBLICIDADE
Logo do

Bahia

Meu time

Lucas Mugni chega ao Bahia falando sobre versatilidade e motivo que o fez optar pelo clube

Meio-campista que teve como última equipe no futebol brasileiro o Sport admite que esteve em vias de fechar com a Chapecoense

22 jul 2021 14h58
| atualizado às 14h58
ver comentários
Publicidade

Na tarde desta quinta-feira (22), o Bahia promoveu a apresentação oficial do meio-campista Lucas Mugni, último reforço anunciado pelo Esquadrão que chega com a importância de preencher o espaço no plantel de Thaciano, negociado pelo Grêmio (dono de seus direitos), com os turcos do Altay Spor.

Jogador já passou no Brasil por Flamengo e Sport (Felipe Oliveira/EC Bahia)
Jogador já passou no Brasil por Flamengo e Sport (Felipe Oliveira/EC Bahia)
Foto: Lance!

Um dos temas que mais chamou a atenção desde o anúncio de Mugni foram as especulações anteriores onde sua contratação por parte da Chapecoense era dada como praticamente sacramentada.

Sobre isso, o meio-campista reconhece que a negociação esteve perto de ser concluída, mas o interesse do Bahia e as dificuldades impostas pela pandemia acabaram mudando seu destino no futebol brasileiro:

- A gente tinha algo encaminhado, mas tinha um problema: estava fechada a fronteira, aí não conseguia cruzar, não tinha voo. Tentei de carro, também não podia. Tiveram vários problemas. Depois, o Lucas ligou para mim e, quando surgiu a chance, pra ser sincero, de vir para o Bahia eu rapidamente disse que queria vir para cá e, com muito respeito, eu liguei também para o treinador da Chapecoense e falei a verdade, o jogador também precisa ser sincero. É uma oportunidade muito boa e estou muito feliz de ter vindo pra cá.

Tendo surgido como um meia de ligação, o atleta hoje com 29 anos de idade entende que conseguiu amadurecer bem ao longo da carreira. Algo que condiciona, principalmente, a forma como o futebol evoluiu onde enxerga um número bem mais reduzido de atletas que se limitam a atuar como figuras de armação:

- Foi determinante como estava indo o futebol. Vi que estava acabando aquele meia, agora até apareceu mais de novo, mas tive a impressão de que ninguém mais atuava com aquele meia de criação, era mais 4-3-3, 4-4-2, então foi uma escolha minha. Pensei: "Você vai querer jogar ou ficar nessa de só ser meia". E, para mim, nunca foi assim. Sempre tentei ajudar o clube e isso sempre foi determinante. Sempre falei para os técnicos: "Quando você mais precisar, eu estou aqui para jogar". Então, eu assistia vários vídeos, os jogos para ver o que eu tinha que melhorar. Melhorei muito na questão de voltar mais, então hoje sou mais um jogador de meio-campo que chega no ataque e faz também a diferença. Eu acho que, agora, sou um jogador mais completo.

Ciente de que, ainda assim, terá como desafio ser a figura criativa do sistema de meio-campo no time de Dado Cavalcani, Lucas Mugni assegura ter ciência do que precisa fazer e também comentou sobre a principal motivação para aceitar a proposta do Bahia.

- Hoje eu convido todo mundo que venha vem ver o CT, toda a estrutura que tem. Mesmo vendo como a equipe está na tabela, acabou de ser campeão na Copa do Nordeste, então isso é sempre bom para o jogador. Eu sempre tentei na minha carreira melhorar e acho que o Bahia está no mesmo caminho, de melhorar. Então, juntaram as duas coisas e eu acho que é um passo muito importante pra mim - analisou o atleta.

- É um desafio, claro. Eu também vou mostrar meu estilo de jogo em campo. Eu acho que já sei o que o time está precisando ou no que eu posso ajudar. Então, vai ser um desafioque eu estou disposto a combater - concluiu.

Lance!
Publicidade
Publicidade