PUBLICIDADE

Retrospectiva 2021: Ogier faz história e leva octa no ano de despedida do Mundial de Rali

Sébastien Ogier alcançou octacampeonato do Mundial de Rali em temporada na qual disparou na primeira metade do ano para administrar o resultado, em sua última participação no WRC

7 jan 2022 04h02
ver comentários
Publicidade
Sébastien Ogier e Julien Ingrassia foram octa no WRC 2021
Sébastien Ogier e Julien Ingrassia foram octa no WRC 2021
Foto: Jaanus Ree/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

RICCIARDO É PROBLEMA PARA MCLAREN OU 2021 FOI SÓ UM TROPEÇO?

Sébastien Ogier se despediu do Mundial de Rali ao final da temporada de 2021 da mesma forma que encerrou oito dos últimos nove anos: com o título. O francês, que já era o segundo maior campeão da história do WRC, encerrou sua trajetória com oito conquistas, nada menos do que o dobro dos terceiros colocados Juha Kankkunen e Tommi Mäkinen — os três ficam atrás apenas de Sébastien Loeb, com nove. E o último campeonato de Ogier foi praticamente garantido na primeira metade do ano, com certa emoção apenas na parte final da disputa.

A primeira metade do calendário do WRC em 2021 foi quase que totalmente dominada pela Toyota #1 de Ogier e seu navegador e compatriota, Julien Ingrassia — a equipe foi campeã de Construtores com quase 60 pontos de diferença para a Hyundai. Das seis primeiras etapas — de um total de 12 —, Ogier venceu quatro (Mônaco, Croácia, Itália e Quênia) e ainda subiu ao pódio em Portugal, com o terceiro lugar.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Sébastien Ogier terminou a temporada 2021 do WRC com vitória no Rali de Monza (Foto: Jaanus Ree/Red Bull Content Pool)

Assim, a vantagem alcançada pelo francês logo na primeira metade do ano trouxe tranquilidade para o restante da disputa, mesmo com a perseguição da dupla britânica do Toyota #33 — formada por Elfyn Evans e seu navegador, Scott Martin.

Os resultados alcançados por Ogier na segunda metade do calendário demonstram que o ritmo do campeão já não era mais o mesmo, mas é importante ressaltar que o piloto seguiu marcando pontos constantemente, se mantendo sempre no topo da disputa. Após a disputa no Quênia, Sébastien venceu apenas mais uma vez, na etapa derradeira do campeonato, em Monza. Além disso, ainda subiu ao pódio com um novo terceiro lugar na Grécia, na nona etapa.

Em apenas cinco das 12 etapas, Ogier ficou fora do pódio: Ártico, Estônia, Bélgica, Finlândia e Espanha. No entanto, Evans não conseguiu aproveitar os momentos em que o francês deixou a desejar, e venceu apenas a etapa finlandesa — além do triunfo em Portugal.

Elfyn Evans voou na etapa da Finlândia do WRC 2021 para manter as chances de título, mas não conseguiu alcançar Ogier (Foto:WRC/Twitter)

Assim, nos momentos em que Ogier tropeçou, a disputa se tornou absolutamente equilibrada e as vitórias foram divididas entre os pilotos. Ott Tänak venceu no Ártico, Kalle Rovanperä triunfou duas vezes, em Estônia e Grécia, enquanto Thierry Neuville foi o vencedor nas etapas de Bélgica e Espanha. Evans saiu apenas com as duas vitórias já lembradas, em Portugal e Finlândia. Em todas as outras, o campeão saiu como vencedor.

Assim, Ogier coroou sua despedida do WRC de maneira categórica. Com oito títulos na categoria, o francês foi interrompido apenas pelo troféu de Tänak em 2019, quando amargou um terceiro lugar na classificação final pela Citroën. Sébastien venceu em 2013, 2014, 2015 e 2016 pela Volkswagen, em 2017 e 2018 pela M-Sport, e em 2020 e 2021 pela Toyota.

Sébastien Ogier se despede do WRC com oito títulos na conta e como um dos maiores nomes da história do Rali (Foto: Toyota)

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade