PUBLICIDADE

Rast volta ao DTM após um ano fora e assina com Abt para temporada 2022

O tricampeão René Rast firmou acordo com a Abt e está de volta ao DTM para a temporada de 2022, ao lado de Kevin van der Linde

11 jan 2022 12h47
| atualizado às 12h53
ver comentários
Publicidade
René Rast fechou contrato com a ABT para a temporada de 2022 do DTM
René Rast fechou contrato com a ABT para a temporada de 2022 do DTM
Foto: Divulgação/Abt / Grande Prêmio

O QUE QUEREMOS VER NA PRÓXIMA TEMPORADA DE 'DRIVE DO SURVIVE'?

Depois de um ano de pausa, Réne Rast está de volta. O tricampeão do DTM volta à categoria em 2022 na equipe da Abt — mesma equipe em que ingressou para participar da temporada 2020/21 da Fórmula E, junto com a Audi — , ao lado de Kevin van der Linde, que, por sua vez, esteve envolvido em grande polêmica na etapa final do campeonato do ano passado.

"Estou muito feliz por voltar ao DTM após um ano de pausa, nunca perdi o desejo pelo DTM", disse Rast. "A Audi queria que eu me concentrasse totalmente na Fórmula E na temporada passada. Terei quase a mesma equipe da Fórmula E no DTM. Meu engenheiro permanecerá o mesmo, assim como meu mecânico-chefe e alguns dos mecânicos. Somos uma equipe muito bem coordenada. Fazia sentido continuarmos juntos", acrescentou.

O carro de Rast em 2022 (Foto: Divulgação/Abt)

Rast chegou já com 30 anos ao DTM, em 2017 e, de cara, garantiu o título logo em sua estreia. Depois de passar perto de conquistar seu segundo campeonato consecutivo em 2018, ele confirmou outros dois títulos, em 2019 e 2020. Detalhe: todos com a equipe Team Rosberg. Por isso, com três troféus em quatro anos — além de outras 24 vitórias, 20 pole-positions, 14 voltas mais rápidas e 1.113 pontos —, ele se tornou o piloto mais bem sucedido da Audi no DTM.

Agora, de volta à categoria alemã, Rast tem um novo desafio. Isso porque, no ano passado, o DTM fez a transição e agora tem carros no estilo GT3, nos quais o piloto tem experiência mas, segundo ele, ainda é pouco em relação a seu mais novo companheiro de equipe.

"O DTM agora está com carros GT3, com os quais tenho experiência, mas muito pouco comparado a Kelvin van der Linde e aos outros. Provavelmente levará algum tempo para me acostumar novamente e aprender os pequenos truques com os caras que guiam esses carros há sete, oito anos. Está bem claro que vai ser muito difícil", explicou.

"Você também viu no ano passado como outros ex-pilotos de DTM ou até mesmo outros grandes nomes do automobilismo lutaram na categoria. Espero poder correr por vitórias e aumentar a minha curva de aprendizagem, para que no final do ano possa lutar por pódios na classificação geral. O mais importante é que o título finalmente volte [para a equipe Abt]", concluiu.

Vale lembrar que o alemão teve momentos brilhosos com carros GT3. Em 2014, conquistou o título da GT Masters ao lado de van der Linde, com um Audi R8. Além disso, teve muito brilho nas categorias de 24 Horas: venceu, em 2012 e 2014, as 24 Horas de Spa; também conquistou, em 2014, as 24 Horas de Nürburgring; e, por fim, venceu a classe GTD nas 24 Horas de Daytona de 2016.

SAINZ BRILHANTE E ALONSO ACIMA DO ESPERADO: OS ESPANHÓIS NA F1 EM 2021

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade