1 evento ao vivo

Jimenez passa Evans no apagar das luzes e vence corrida 2 do eTrophy em Berlim

Sérgio Jimenez calculou bem o uso do modo ataque, garantindo ataque certeiro contra Simon Evans. Cacá Bueno tinha a prova sob controle, mas errou e terminou em terceiro lugar

6 ago 2020
12h19
atualizado às 12h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Sérgio Jimenez venceu a corrida 2
Sérgio Jimenez venceu a corrida 2
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Um novo dia, uma nova vitória brasileira no Jaguar eTrophy. 24 horas após o triunfo de Cacá Bueno na corrida 1 da categoria em Berlim, Sérgio Jimenez aproveitou a quinta-feira (6) para conseguir uma nova vitória na temporada. Dessa vez, levando a melhor em uma disputa apertada com Simon Evans.

Jimenez precisou usar o modo ataque para ultrapassar Evans na penúltima volta. A vantagem na altura da volta quadriculada foi apenas 1s3. Cacá Bueno cruzou a linha de chegada em terceiro, mas sem muitos motivos para ficar feliz: o piloto largou da pole-position e parecia ter a prova sob controle, isso até errar a passagem pela zona de ativação do modo ataque e perder tempo sem necessidade.

Sérgio Jimenez assumiu a liderança nas voltas finais
Sérgio Jimenez assumiu a liderança nas voltas finais
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Oliver Webb reagiu nas voltas finais e cruzou a linha de chegada em um bom quarto lugar. Foi ao custo de Nick Foster, que começou combativo e sonhando com pódio, mas terminando apenas em quinto.

Adalberto Baptista, outro brasileiro do grid, voltou a ter performance esquecível. O piloto caiu para último nas voltas iniciais e por lá ficou.

A vitória leva Jimenez a 85 pontos. O brasileiro amplia a vantagem no campeonato, vendo Evans somar 79. Bueno subiu para terceiro, mas totalizando apenas 40.

Saiba como foi a corrida 2 do eTrophy em Berlim

A corrida começou tranquila para Cacá Bueno, que manteve a liderança na primeira volta. Sérgio Jimenez manteve o segundo lugar, mas sem vida tão simples: foi necessário bloquear Nick Foster na saída da primeira curva para manter posição. Simon Evans e Alice Powell também mantiveram posições, respectivamente em quarto e quinto. Quem perdeu posição foi Adalberto Baptista, caindo de décimo para 11°.

Os quatro primeiros colocados seguiam colados, com Bueno aparentemente sem o mesmo ritmo forte de 24 horas antes. Powell, sofrendo para acompanhar os líderes, foi punida por isso: Oli Webb fez a ultrapassagem e apareceu em quinto.

Na altura da quinta volta, uma mudança no pelotão dianteiro: Evans atacou Foster e tomou a terceira posição. Era particularmente importante para o neozelandês, lutando pelo título contra Jimenez, uma posição adiante.

Os três primeiros começaram a abrir vantagem, forçando Foster a usar o modo ataque para manter contato. Jimenez fez o mesmo em seguida, mas com um lado negativo: na volta ao traçado normal, Sérgio acabou preso atrás de Nick. Não era o momento para perder tempo, o que levou a uma ultrapassagem na marra.

Jimenez subia novamente para terceiro. Mais algumas curvas e passou para segundo, com bela manobra sobre Evans. Só Bueno estava adiante, mas não por muito tempo. O pentacampeão da Stock Car tentou ativar o modo ataque, mas não passou corretamente por cima dos sensores. Ou seja, só perdeu tempo. Foi necessário sair do traçado normal mais uma vez, o que o relegou ao quarto lugar. Jimenez virava o líder de direito da prova.

Só que a prova estava longe de encerrada. Os três primeiros ainda precisavam usar o modo ataque mais uma vez, e precisavam fazê-lo na hora certa. Evans, segundo colocado foi o primeiro a acionar. Jimenez fez sua parte na volta seguinte, mas voltou já atrás do neozelandês. Foi só na penúltima volta que o piloto brasileiro conseguiu retomar a liderança, garantindo a vitória.

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade