PUBLICIDADE

Vettel põe arco-íris no capacete em defesa de LGBTQIA+: "Todos devem ser livres para amar"

Em um momento em que o governo da Hungria retira direitos da população LGBTQIA+, o piloto da Aston Martin apareceu em Hungaroring com um arco-íris pintando no capacete. Na quinta-feira (30), o alemão já tinha usado um tênis na mesma temática

30 jul 2021 13h05
ver comentários
Publicidade
Sebastian Vettel estampou o capacete com um arco-íris
Sebastian Vettel estampou o capacete com um arco-íris
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Sebastian Vettel decidiu afrontar o conservadorismo da Hungria. Depois de um tênis temático, o alemão da Aston Martin estampou um arco-íris no capacete em defesa da população LGBTQIA+ e a frase: 'Mude o mundo de bitoca em bitoca'.

A Hungria vive um momento de supressão de direitos da população LGBTQIA+. A administração do primeiro-ministro ultradireitista Viktor Orbán proibiu, por exemplo, que transgêneros possam mudar de nome e fez com que a definição legal de família considere apenas aquelas formadas por um pai do sexo masculino e uma mãe do sexo feminino.

Sebastian Vettel defendeu que as pessoas sejam livres para amar
Sebastian Vettel defendeu que as pessoas sejam livres para amar
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O governo conservador liderou modificações na Constituição húngara e aboliu direitos civis de casais do mesmo sexo e restringiu a possibilidade de adoção por quem não estiver em um casamento católico. A lei também criou uma relação entre homossexualidade e pedofilia e barrou a educação sexual nas escolas. De acordo com o governo, a justificativa da lei é que "a educação sexual dos filhos pertence exclusivamente aos pais".

O texto inclui emendas que proíbem a difusão de conteúdos com qualquer outra orientação sexual que não a heterossexual, assim como informações sobre redesignação de gênero em escolas, filmes ou publicidade direcionadas a menores de 18 anos.

Na quinta-feira, Lewis Hamilton postou nas redes sociais um pedido para que os húngaros defendam a população LGBTQIA+ no referendo anunciado pelo governo ainda sem data. As questões apresentadas por Orbán, porém, foram consideradas ambíguas e confusas.

Vettel defendeu que todos devem ser livres e considerou que é embaraçoso que um país que faz parte da União Europeia tenha esse tipo de legislação.

"Todos são livres para fazerem o que querem e esse é exatamente o ponto", disse o tetracampeão da Fórmula 1. "Acho embaraçoso que um país que faz parte da União Europeia tenha de votar ou ter leis como essas. Só acho que já tivemos muitas chances de aprender no passado", ponderou.

"Não consigo entender a razão da dificuldade deles em enxergarem que todos devem ser livres para fazerem o que quiserem, para amarem quem amam. Isso segue a linha do viva e deixe viver", completou.

A Fórmula 1 volta a acelerar em Hungaroring neste sábado. O terceiro treino livre está marcado para 7h (de Brasília, GMT-3), enquanto a classificação acontece às 10h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade