PUBLICIDADE

Szafnauer diz que chegada de Whitmarsh à Aston Martin motivou saída: "Dois Papas"

Agora chefe da Alpine, Otmar Szafnauer afirmou que decisão de deixar Aston Martin após anos de trabalho foi motivada por chegada de Martin Whitmarsh e negou problemas com Lawrence Stroll

16 mai 2022 14h53
ver comentários
Publicidade
Otmar Szafnauer deixou Aston Martin após incômodo com contratação de Martin Whitmarsh
Otmar Szafnauer deixou Aston Martin após incômodo com contratação de Martin Whitmarsh
Foto: F1 / Grande Prêmio

O SORTUDO DA FÓRMULA 1 2022: COMO RUSSELL AGARROU CHANCES NA MERCEDES

Otmar Szafnauer se juntou à Alpine para a disputa da temporada deste ano da Fórmula 1 após um longo tempo de trabalho na Aston Martin, onde esteve presente nas épocas de Racing Point e até mesmo Force India — sempre como chefe de equipe. No entanto, o romeno afirmou que ficou claro para ele no ano passado que seu tempo como dirigente da equipe havia terminado e revelou que as conversas por um acordo com seu novo time começaram apenas em 2022.

"As conversas começaram de verdade este ano, no ano novo, e apenas depois que ficou claro para mim que a melhor coisa a fazer era deixar a Aston Martin", revelou Szafnauer ao portal oficial da Fórmula 1. "Foi quando comecei a procurar outras coisas, e tudo combinou com a Alpine", disse.

Szafnauer negou qualquer tipo de problema com Lawrence Stroll e disse estar se adaptando à Alpine (Foto: F1)

Questionado ainda em março — início da temporada oficial — sobre os motivos que o levaram a deixar a Aston Martin rumo à Alpine, Szafnauer preferiu traçar um paralelo e fazer mistério. "A Igreja Católica tem apenas um Papa — e quando você tem dois, algo está errado. Então acho que era o momento de sair e deixar a Aston Martin para seu Papa", disparou.

Na conversa com o site da F1, o romeno enfim revelou o mistério. E apesar do tom brando e conciliador, Szafnauer acabou deixando uma crítica no ar sobre a contratação de Martin Whitmarsh pela Aston Martin, o que teria iniciado seu processo de saída da equipe britânica.

Além disso, o agora chefe da Alpine fez questão de esclarecer que não havia se referido ao dono da equipe, o empresário Lawrence Stroll — pai de Lance Stroll, companheiro de Sebastian Vettel na escuderia —, como grande parte do público havia entendido.

Ex-McLaren, Martin Whitmarsh retornou à F1 como CEO na Aston Martin (Foto: Reprodução)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"As pessoas me perguntam quem seria o Papa. E não era Lawrence [Stroll, dono da Aston Martin], porque todo mundo tem um chefe", revelou. "Mas uma vez que trouxeram Martin Whitmarsh, era o outro Papa que estava me referindo. Para nós dois, sentar no mesmo espaço e tentar fazer a mesma coisa simplesmente não funciona", alegou.

"Mas não era sobre Lawrence", repetiu. "Lawrence ainda é o dono e o chefe por lá. Eu tenho um chefe aqui, Laurent [Rossi] e está tudo entendido e claro, e é assim que as coisas devem ser", completou.

A Fórmula 1 retorna já no próximo final de semana, com equipes e pilotos partindo para o Circuito de Barcelona, na Catalunha, local de disputa do tradicional GP da Espanha. As atividades da categoria estão marcadas para os dias 20, 21 e 22 de maio.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade