Russell pede dobro da evolução dos rivais, mas vê Williams "na direção certa" com FW43B

No terceiro ano de Williams, George Russell acredita que a equipe está no caminho correto, mas ainda não sabe se será o bastante

5 mar 2021
13h48 atualizado às 18h48
0comentários
13h48 atualizado às 18h48
Publicidade
Russell somou pontos com a Mercedes no GP de Sakhir.
Russell somou pontos com a Mercedes no GP de Sakhir.
Foto: Williams / Grande Prêmio

A Williams foi a nona equipe a realizar o lançamento do carro para a temporada 2021 da Fórmula 1. Na manhã desta sexta-feira (5), a equipe de Grove apresentou o FW43B e a nova pintura. No terceiro ano nos quadros ingleses, George Russell acredita que o time está no caminho correto, mas convencido de que apenas melhorar não será o bastante.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Isso porque as rivais do fim do pelotão terão motores melhores em 2021. Com a evolução dos motores de Haas e Alfa Romeo, ambas impulsionadas por Ferrari, há que crescer duas vezes mais.

"Estamos muito confiantes de que podemos avançar, e o carro está definitivamente na direção certa. Se é o bastante? Quem sabe, tudo depende de nossa competitividade, mas o carro fez grande trabalho. Mas até entrarmos na pista naquele sábado para a classificação do GP do Bahrein, não dá para saber", afirmou à TV inglesa Sky Sports.

Visto de frente o novo FW43B, o carro da Williams para a temporada 2021 da F1
Visto de frente o novo FW43B, o carro da Williams para a temporada 2021 da F1
Foto: Williams / Grande Prêmio

"O motor Ferrari estava abaixo ano passado e vai evoluir agora, então temos que evoluir o dobro para chegarmos ao nível deles. O pessoal fez um bom trabalho, mas até ver como nossos rivais estão, não dá para saber. Mas creio que avançamos na direção certa", seguiu.

Russell também se mostrou animado para trabalhar junto a Jenson Button, campeão mundial de 2009 e contratado como consultor.

"Definitivamente! Jenson é um grande cara, é divertido passar tempo com ele. E ele esteve na F1, fez o trabalho, foi campeão e esteve na Williams. Vai ser uma voz importante com quem conversar e vai ajudar nas mensagens entre mim e a equipe. Ele entende bem os dois lados. Estou ansioso por trabalhar com ele", apontou.

Mas e a Mercedes? Russell diz que não está ansioso por enquanto e que confia na opinião de Toto Wolff. Quanto a se testar numa briga direta com Lewis Hamilton, mostrou-se interessado - tanto com Hamilton quanto com outros pilotos tidos como os melhores do pelotão.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:

"Mercedes e Toto sempre estiveram comigo e acreditaram em mim desde o primeiro dia. Quando eles acharem que é o momento certo, será o momento certo. Não vou apressá-los, só continuarei fazendo meu trabalho na pista. Tive uma grande oportunidade no Bahrein ano passado, mas vou focar aqui na Williams, no meu trabalho deste ano.

Todos os pilotos querem se colocar ao lado do melhor, sempre. E Lewis é o melhor no momento. Mas há outros grandes pilotos que, talvez não tenham o mesmo currículo que Lewis, mas são muito bons também: Max, Charles, esses caras estão no mesmo nível. Então me colocar contra qualquer um deles será ótimo", finalizou.

A pré-temporada da F1 inicia em 12 de março, enquanto o campeonato começa com o GP do Bahrein, no fim de semana do dia 28 deste mês.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade