3 eventos ao vivo

Ron Dennis deixa comando da McLaren após 36 anos

15 nov 2016
18h23
  • separator
  • 0
  • comentários

Chefão da McLaren desde 1980, Ron Dennis renunciou ao comando da escuderia britânica nesta terça-feira. O dirigente passou por uma temporada complicada na equipe neste ano, e se viu forçado a abandoná-la por pressão dos acionistas do grupo. A informação foi dada pelo próprio Dennis, em comunicado oficial.

"Estou muito decepcionado em saber que os representantes da TAG e Mumtalakat, acionistas majoritários da McLaren, decidiram me forçar a deixar o comando da equipe mesmo após receberem fortes alertas de outros membros administrativos da equipe. Os avisos consistiam nas consequências desta atitude no negócio como um todo", disparou Dennis.

De acordo com o ex-chefão, os motivos utilizados como justificativa pelos representantes dos acionistas são falsos, e que sua maneira de comandar a equipe segue a mesma que sempre utilizou.

"Minha administração é a mesma de sempre, aquela que possibilitou a McLaren a se tornar um grupo tecnológico e automotivo que venceu 20 títulos da Fórmula 1, além de um crescimento financeiro que a faz valer 850 milhões de libras anuais", completou. Vale ressaltar que foram oito títulos como construtores e 12 com seus pilotos.

Dennis ainda agradeceu a todos os colegas que trabalhou durante sua longa passagem pela escuderia britânica. "Por fim, está claro para mim que nenhum dos acionistas majoritários dividem a mesma visão acerca do potencial de crescimento da McLaren. Entretanto, minha primeira preocupação é a respeito do negócio que construí e os 3500 empregados", continuou.

O dirigente afirmou que pretende continuar utilizando suas ações nas empresas para proteger os interesses e o valor da McLaren, além de auxiliar em seu futuro. Dennis também explicou que irá lançar uma nova tecnologia de investimento, assim que todos os seus compromissos contratuais com a McLaren estiverem finalizados.

O primeiro campeonato mundial da escuderia sob o comando de Ron Dennis foi com o austríaco Niki Lauda, em 1984, quando a McLaren faturou os títulos do mundial de pilotos e de construtores. O último foi com o inglês Lewis Hamilton, em 2008, que ainda luta pelo tetracampeonato da modalidade em 2016.

Na atual temporada, a dupla de pilotos da McLaren teve o espanhol Fernando Alonso, bicampeão da Fórmula 1 em 2005 e 2006, e o inglês Jenson Button, que faturou o troféu em 2009. Ambos os representantes não fizeram um bom ano, com Alonso terminando na décima colocação geral e Button na 15ª, (até o Grande Prêmio do Brasil).

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade