PUBLICIDADE

Red Bull confirma que pode voltar a contar com Albon em 2023

Equipe admitiu ter opção a ser exercida para trazer Alexander Albon de volta ao conglomerado do time; piloto correrá pela Williams em 2022

17 set 2021 14h54
| atualizado às 15h55
ver comentários
Publicidade
Mesmo de partida para a Williams em 2022, o anglo-tailandês Alex Albon pode reatar o casamento com a Red Bull a partir de 2023, segundo o chefe de equipe da escuderia, Christian Horner.
Ex-piloto da Toro Rosso e da Red Bull, Alexander Albon defenderá a Williams na Fórmula 1 de 2022
Ex-piloto da Toro Rosso e da Red Bull, Alexander Albon defenderá a Williams na Fórmula 1 de 2022
Foto: Williams / Grande Prêmio

Ex-piloto de Toro Rosso e Red Bull na F1, Albon assinou com a Williams para substituir George Russell na próxima temporada. Porém, precisou perder o vínculo que tem com o time taurino para correr na equipe de Grove, abastecida por motores Mercedes, principal rival da Red Bull na Fórmula 1.

Em entrevista ao site oficial da Fórmula 1, Horner falou sobre a chance de futuro do anglo-tailandês, que atualmente compete na categoria DTM, com a equipe. Alex correu pela Red Bull entre 2019 e 2020 pelo time, com dois pódios conquistados, e explicou que acelerou o processo de fim de contrato do piloto para que pudesse correr na Williams.

"Significa que temos uma boa relação com Alex, ele mantém uma ligação com a Red Bull, e temos uma opção em seus serviços se forem solicitados em 2023. O contrato dele se encerra ao fim do próximo ano, então o que fizemos foi acelerar o processo e assegurar opções de futuro para ele", declarou.

"Ele tem feito um grande trabalho nos bastidores, está muito envolvido no carro do ano que vem. Ele fechou com a Williams e pouco tempo depois estava no simulador tarde da noite para acumular horas", comentou Horner.

Para 2022, a Red Bull manterá a dupla formada por Max Verstappen e Sergio Pérez, enquanto a AlphaTauri, equipe B do conglomerado, seguirá com Pierre Gasly e Yuki Tsunoda.

"Vamos trabalhar duro com ele entre agora e o fim do ano. A quantidade de horas que ele acumulou no simulador é insana, mas parte do que estamos tentando alcançar na pista neste ano. Fiquei impressionado com a forma com que ele abraçou o papel, do momento que foi informado sobre em Abu Dabi no ano passado, e este é um dos motivos que focamos em ajudá-lo a retornar para a Fórmula 1", seguiu.

"Vamos sentir falta dele no próximo ano, mas temos Juri Vips e Liam Lawson fazendo um grande trabalho, ainda temos Sébastien Buemi sob contrato, Jake Dennis tem feito um grande trabalho para nós também. Temos profundidade e força no elenco de simulação", concluiu.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade