PUBLICIDADE

Pérez se manifesta contra teto de salário para pilotos: "Nós corremos todos os riscos"

Sergio Pérez acredita que o forte acidente na largada do GP da Inglaterra ajudou a lembrar os riscos que os pilotos correm na Fórmula 1 e espera que gere mais segurança para todos no esporte

5 jul 2022 - 04h45
Ver comentários
Publicidade
Sergio Pérez se assustou com o acidente de Guanyu Zhou e lembrou o risco que os pilotos correm
Sergio Pérez se assustou com o acidente de Guanyu Zhou e lembrou o risco que os pilotos correm
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

FÓRMULA 1 2022: QUE CORRIDA! TUDO SOBRE A VITÓRIA DE CARLOS SAINZ NA INGLATERRA | Briefing

Carlos Sainz conquistou sua primeria vitória na Fórmula 1 no GP da Inglaterra no último domingo (3), mas a corrida ficou marcada por um forte acidente na largada. Guanyu Zhou acabou capotando e sua Alfa Romeo deslizou por vários metros de ponta cabeça até parar em cima da barreira de pneus. Além do chinês, Alexander Albon também foi levado ao centro médico e depois para um hospital para ser avaliado após se envolver no incidente.

Para Sergio Pérez, que fez uma bela prova de recuperação e terminou em segundo em Silverstone, o acidente relembra os riscos que os pilotos correm toda vez que vão para a pista. O mexicano acredita que, por serem as estrelas do show e se submeterem constantemene ao perigo, os pilotos não devem ter seus salários incluídos no teto de gastos da Fórmula 1.

"Quando você escuta as pessoas falando sobre colocar um teto nos salários dos pilotos, somos nós que corremos todos os riscos na pista e fazemos o show. Então, não acho que seja uma coisa boa falar sobre isso no esporte daqui para frente. Mas o mais importante hoje é que ninguém se machucou", disse Pérez após o GP da Inglaterra.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Batida assustadora de Guanyu Zhou deixou chinês de cabeça para baixo na Inglaterra (Foto: Reprodução)

+ Opinião GP: Ferrari volta a vencer, mas faz pouco em revés de Verstappen e se enrola

O acidente causou uma bandeira vermelha e gerou apreensão no paddock e no público em relação ao estado de saúde de Zhou. Todos os pilotos foram liberados sem ferimentos, o que mostra a evolução na segurança da categoria. Mas a quebra do Santo Antônio da Alfa Romeo gerou preocupação e a FIA já anunciou que vai abrir uma investigação sobre o caso. Pérez espera que o acidente seja revisado para garantir a segurança de todos envolvidos no esporte.

"Eu sabia que tinha acontecido um acidente, mas só fui ver quando estava de volta na garagem e estava olhando para a TV e eles mostraram o acidente, fiquei chocado. Já faz um tempo desde que vimos um acidente como esse. É difícil ver isso e tentar apagar de sua mente e focar no que você tem que fazer", contou o mexicano.

"Parabéns para a FIA porque percorremos um longo caminho. Tenho certeza de que ainda há boas melhorias e sempre boas lições para garantir que aprendamos com o que aconteceu hoje, rever o acidente, para ter certeza de que há coisas que podemos melhorar. Não sei se haviam fotógrafos por perto que estivessem em risco. Então, precisamos dar uma olhada e ver se somos capazes de tornar o esporte mais seguro para todos", concluiu Checo.

Pérez volta às pistas já no próximo domingo (10), quando a Fórmula 1 retorna para o GP da Áustria, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

F1 22 É BOM? INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL É PONTO FORTE DE NOVO JOGO OFICIAL | Review

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade