0

Na ausência de Pérez, Hülkenberg veste rosa que o levou a "deixar Force India"

Três anos atrás, Nico Hülkenberg debochou da pintura rosa da então Force India. Como o mundo dá voltas, o alemão vem agora para a Racing Point para substituir o infectado Sergio Pérez

31 jul 2020
07h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Grande Prêmio

Ter um carro rosa no grid virou coisa normal com o passar do tempo, mas foi um pequeno choque para uma Fórmula 1 normalmente conservadora quando a então Force India anunciou que disputaria a temporada 2017 com patrocínio da BWT e tal tom. Nico Hülkenberg, que deixava a escuderia, chegou a tirar sarro da pintura via Twitter. Isso para, três anos depois, voltar e pilotar o próprio RP20 rosáceo da atual Racing Point neste fim de semana de GP da Inglaterra.

O retorno acontece em circunstâncias inesperadas. O titular Sergio Pérez testou positivo para coronavírus e, apesar de assintomático, está automaticamente fora do GP da Inglaterra e forçado a ficar em isolamento. A Racing Point, sem grandes alternativas dentro do paddock da F1, recorreu a um Hülkenberg que não pilota nada desde dezembro de 2019 e que nem sequer tinha planos de aparecer em Silverstone.

Nico Hülkenberg debochou da pintura rosa da então Force India no passado
Nico Hülkenberg debochou da pintura rosa da então Force India no passado
Foto: Renault / Grande Prêmio

Hülkenberg está fora da F1 desde o fim de 2019 por conta da decisão da Renault de contratar Esteban Ocon. Foi justamente a equipe francesa que 'salvou' o alemão de pilotar o carro rosa, tendo deixado a então Force India ao fim de 2016.

Seja na Force India, seja na Renault, Hülkenberg teve uma constante na carreira: a impossibilidade de ir ao pódio. O alemão tem o desagradável recorde de maior número de GPs sem nunca terminar no top-3. A chance de ouro vem agora: o RP20, também conhecido como 'Mercedes rosa', parece capaz até mesmo de lutar com Red Bull pela condição de segunda força da F1 em 2020.

Ainda não há confirmação sobre qual será a dupla da Racing Point para o GP do 70° Aniversário, o segundo consecutivo em Silverstone. A expectativa é de que Pérez passe dez dias em isolamento, o que o mantém afastado. Nesse cenário, Hülkenberg já é favorito para seguir no cockpit em mais um fim de semana.

Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade