PUBLICIDADE

Mercedes ratifica melhor ritmo na Arábia Saudita. Mas Red Bull tem como contra-atacar

A Mercedes impôs um importante 1-2 no primeiro dia de treinos livres em Jedá e parece ter a melhor configuração para a velocíssima pista urbana à beira do Mar Vermelho. Já a Red Bull enfrentou seus perrengues, mas também tem suas armas para o penúltimo embate do ano. E ambas têm um inimigo comum: o trânsito

3 dez 2021 19h15
| atualizado às 19h33
ver comentários
Publicidade
Lewis Hamilton
Lewis Hamilton
Foto: Mercedes / Grande Prêmio

A Mercedes chega ao penúltimo episódio da batalha contra a Red Bull em um melhor momento, talvez o melhor de toda a temporada 2021, e tem de vencer novamente. Mais do que nunca, é necessário colocar os dois carros nas primeiras posições para que seja possível levar a disputa com os taurinos até a etapa derradeira em um cenário menos desfavorável. E o passo inicial foi dado nesta sexta-feira (3). A esquadra anglo-alemã terminou o dia de treinos livres com uma dobradinha, puxada por Lewis Hamilton. A velocíssima e apertada pista de Jedá não intimidou os homens de preto, que fecharam o dia deixando a impressão de que há mais por vir.

A questão é que a multicampeã trabalhou muito em cima da configuração geral do carro, buscando assegurar velocidade e desempenho dos pneus - sequer usou o já famoso motor apimentado. Isso foi alcançado em partes. A performance está lá, especialmente em corrida. Hamilton se concentrou em voltas consistentes com os pneus médios, andando sempre na casa de 1min33s8, enquanto Valtteri Bottas focou nos compostos macios. Porém, o ritmo de classificação do W12 ainda não está como o heptacampeão deseja. Acontece que os pneus vermelhos exibiram um desgaste maior do que o imaginado. Tirar temperatura deles, principalmente quando a noite cai, é mais complicado.

Esse cenário preocupa, em que pese o fato de que a pista apresentou um nível de aderência muito maior que o esperado. O tratamento realizado no asfalto da Arábia Saudita, muito semelhante ao usado na Turquia, feito à base de água, surtiu um efeito inesperado. Mas muito bom. Apesar da cautela que a maioria dos pilotos assumiu, foi possível arriscar um pouco mais.  

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"Estamos felizes com o desempenho do carro em ritmo de corrida. Já em uma única volta, nós estávamos mais felizes esta manhã do que à tarde. Brigamos mais para tirar desempenho. Em particular, no pneu macio", reconheceu Andrew Shovlin, engenheiro da Mercedes. "É simples assim. Lewis tem de vencer ambas as corridas e é bom ter essa clareza nos objetivos. Projetamos um carro que pode chegar à pole amanhã, e isso é muito importante aqui. Se dermos esse carro para Lewis, ele pode fazer o trabalho", completou.

A Mercedes não tem muita escolha e, certamente, é uma boa notícia ver que Bottas gostou do circuito de Jedá e não enfrentou problemas para se colocar mais perto de Hamilton na tabela. Além disso, há ainda a poderosa versão 5 do motor de combustão interna. Nesta sexta, a equipe não lançou mão da unidade no W12 de Hamilton. Isso vai ficar para a corrida e classificação. Esse mapeamento mais forte também será feito no carro do finlandês.

"O ritmo em stint longo tem sido parecido com o deles [Red Bull], mas bom. Tentamos algumas coisas no acerto do carro, mas não diria que estamos muito rápidos em volta rápida. Em stints longos, nosso ritmo não parece ruim comparado aos outros. Os médios e duros funcionaram bem, mas deu para ver como Max foi rápido no TL1, mas não melhorava de macios. O macio talvez seja muito macio para as curvas de alta velocidade. Parece que o pneu cai um pouco de rendimento", explicou Lewis, que liderou o dia com a volta de 1min29s018.

+ANÁLISE: Arábia Saudita se mostra imune às regras da F1 com pista muxibenta e código de vestuário

Max Verstappen viveu um dia cheio em Jedá (Foto: Red Bull Content Pool)

Hamilton prometeu ainda invadir a noite de Jedá atrás do melhor acerto do carro e deixou claro: pode melhorar bem para amanhã, em uma pole que tende a ser crucial para a definição do campeonato. "Vamos seguir trabalhando noite adentro para tentarmos o melhor acerto possível para amanhã. Não estamos em situação ruim, mas eles [Red Bull] são bem rápidos em volta rápida, no geral", acrescentou.

A Red Bull, por outro lado, enfrentou suas questões de acerto. No carro de Max Verstappen, os engenheiros utilizaram diferentes opções aerodinâmicas. Pela manhã, quando o holandês andou bem perto de Lewis, o RB16B tinha uma configuração de médio downforce, enquanto a noite decidiu-se por um ajuste de menor pressão aerodinâmica. Max fechou o dia com o quarto melhor tempo, a 0s195 do rival. E, assim como a Mercedes, o carro azul-marinho também teve problemas com os pneus macios. Verstappen, particularmente, ainda sofreu com um carro que saía demais de frente.  

De qualquer jeito, o caso é que a esquadra taurina preferiu o cuidado com o acerto geral e também não utilizou um mapeamento de motor mais agressivo. Quem usou mesmo foi Pierre Gasly, na AlphaTauri.

Digamos que os energéticos optaram por testar os limites com o francês que vem em excelente momento. Gasly foi o terceiro do dia e ficou a menos de 0s1 de Hamilton. Portanto, não se pode descartar Verstappen da luta pela pole neste sábado, tampouco da corrida de domingo. Embora a Mercedes tenha mesmo um ritmo superior, o líder do campeonato não ficou atrás. Ou seja, tem briga.

Pierre Gasly mostrou velocidade com o carro da AlphaTauri (Foto: Red Bull Content Pool)

"No geral, é uma pista muito boa, são muitas curvas rápidas e é divertido de pilotar. Tivemos dificuldades para levar calor aos pneus no TL2, o que é claro que vamos investigar", revelou o holandês. "Então fizemos algumas mudanças do TL1 para o TL2, que não funcionaram tão bem. Mas espero que a gente consiga encontrar o equilíbrio correto na classificação amanhã", destacou o líder do campeonato mundial.

"Existem, é claro, muitas coisas para se trabalhar e melhorar, então vamos ver o que podemos fazer para extrair mais ritmo do carro ao longo da noite", adiantou. "Olhando adiante para a classificação, acho que pode ser bem difícil com o tráfego. Mas no geral, é difícil dizer como será o sábado, já que tudo pode acontecer. Mas vamos forçar bastante e dar tudo de nós", ressaltou.

E sim, Max tem razão. Ainda que Mercedes e Red Bull estejam em um patamar muito diferente de suas colegas, o trânsito na pista de Jedá é um problema e algo que não pode ser desconsiderado, pois a classificação será tão fundamental quanto é em Mônaco.

A Fórmula 1 volta a acelerar em Jedá neste sábado. O treino livre 3 acontece às 11h (de Brasília, GMT-3), enquanto a classificação está marcada para 14h, sempre com transmissão ao vivo da emissora por assinatura BandSports e do serviço de streaming F1 TV Pro. O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todas as atividades de pista do GP da Arábia Saudita de Fórmula 1. Siga tudo aqui.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade