PUBLICIDADE

Mercedes crê que "uma ou duas equipes terão ano doloroso" com novo carro da F1

James Allison, diretor-técnico da Mercedes, avalia que a complexidade das novas regras da Fórmula 1 vai causar estragos em algum projeto

25 jan 2022 08h17
| atualizado às 08h20
ver comentários
Publicidade
James Allison, diretor da Mercedes, entende que vai sofrer com as novas regras
James Allison, diretor da Mercedes, entende que vai sofrer com as novas regras
Foto: Mercedes / Grande Prêmio

PORSCHE E AUDI: EM VEZ DE SOLUÇÃO, PROBLEMA PARA A F1?

A preparação para a temporada 2022 da Fórmula 1 segue em velocidade e ainda com grandes mistérios com relação aos novos carros ideias de cada uma das equipes. De acordo com o diretor-técnico da Mercedes, James Allison, a complexidade das novas regras fará com que ao menos uma das equipes tenha um projeto totalmente furado e viva um longo ano.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Em vídeo publicado pela Mercedes, Allison avalia que o casamento do tamanho do novo livro de regras e a total diferença para o anterior causa um efeito complicado. É possível que as equipes tenham leituras totalmente distintas entre si, o que torna provável que alguém erre por muito.

"O livro de regras não apenas é enorme - os documentos são o dobro daqueles que vieram antes deles -, mas também são completamente diferente do anterior", disse.

"Eu imagino, dado que os carros são tão novos e diferentes, que uma ou duas equipes do grid vão errar gravemente e terão um ano doloroso. Imagino que todos nós, de alguma maneira, deixaremos de fazer alguma coisa que não conseguimos imaginar e vamos acabar olhando para outro carro e pensando 'ei, por que não pensamos nisso?", opinou.

Conceito dos carros de 2022 da F1 promete retorno do 'efeito-solo' em um design completamente novo (Foto: Fórmula 1)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Guia FE 2021/22: Chegou ano da adaptação na Fórmula E

"Então, vamos correr para tentar somar essa ideia ao nosso carro o mais rápido possível para melhorar qualquer que seja a posição que estaremos no começo do ano. Se formos sortudos o bastante de estarmos na frente, faremos para continuar atacar os lobos à espreita. Será uma corrida e tanto, definitivamente algo que manterá a todos nós sem dormir muito por toda a temporada", afirmou.

O motor da F1 segue o mesmo, mas os chassis, o desenho aerodinâmico e até os pneus são bastante diferentes aos anteriores.

"O nível das mudanças torna difícil antecipar a ordem de forças, mas é algo muito divertido de contemplar, porque nenhum de nós sabe exatamente. Uma das coisas que representa a essência do esporte é não saber se fizemos nosso melhor nível de trabalho. Digo sobre todos em nossa equipe e em todas as outras equipes", falou.

"Quando chegar a hora, teremos feito o melhor para encontrar um design e uma abordagem que case bem com o novo livro de regras. Todos descobriremos juntos, no começo da temporada e quando as corridas começarem, exatamente como as coisas estão", apontou.

Os testes coletivos de pré-temporada da F1 começam com uma sessão em Barcelona entre os dias 24-26 de fevereiro. A temporada inicia um mês depois, no fim de semana de 20 de março, no Bahrein.

PROST É DEMITIDO DA ALPINE. E AGORA, ELE TEM LUGAR NA F1?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade