PUBLICIDADE

McLaren divide com Norris culpa por pit-stop tardio na Rússia: "Decisão da equipe"

Andreas Seidl considerou que a equipe poderia ter tomado uma atitude mais firme para convencer o piloto a fazer a parada por conta das informações que tinha no pit-wall. Ainda assim, o dirigente elogiou o fim de semana do jovem inglês

27 set 2021 08h02
ver comentários
Publicidade
Lando Norris liderou boa parte da corrida, mas no fim perdeu a vitória por se recusar a calçar os pneus intermediários
Lando Norris liderou boa parte da corrida, mas no fim perdeu a vitória por se recusar a calçar os pneus intermediários
Foto: McLaren / Grande Prêmio

HAMILTON, 100 VITÓRIAS NA F1! VERSTAPPEN, 2°! NORRIS, PECADO! A ANÁLISE DO GP DA RÚSSIA | Briefinghttps://www.youtube.com/watch?v=Ba-Tb75o5ps

A McLaren dividiu com Lando Norris a responsabilidade pelo pit-stop tardio que culminou com a sétima colocação no GP da Rússia de domingo (26). Na visão de Andreas Seidl, a equipe também poderia ter divergido do piloto por conta das informações que tinha no pit-wall.

Dono da pole, Norris liderou a maior parte da corrida em Sóchi, mas, quando a chuva começou, na volta 46, o piloto foi chamado os boxes e optou por seguir com os slicks. Com o aumento da chuva, Lando não conseguiu mais controlar o carro e teve de parar para trocar de pneus. Assim, caiu para a sétima colocação, enquanto a vitória ficou com Lewis Hamilton.

WEB STORY

Lando Norris fez questão de abraçar Lewis Hamilton após a 100ª vitória do heptacampeão (Foto: McLaren)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O chefe da McLaren ressaltou que o erro do pit-stop faz parte do processo de aprendizado, mas tratou de compartilhar a responsabilidade com o piloto.

"Ele sabe que isso é parte do jogo, parte do aprendizado também", disse Seidl à emissora britânica Sky F1. "Mas não só do lado dele, da equipe também, pois acho que existe sempre uma chance de passar por cima dele do lado do pit-wall com as informações que estávamos recebendo. Mas, no fim, tomamos juntos esta decisão de não parar", seguiu.

"Acho que do lado de Lewis, nós ouvimos discussões e era mais ou menos a mesma coisa acontecendo e, do lado de Lewis, ele teve a chance de esperar o que estávamos fazendo e fazer o contrário, pois ele estava na segunda posição naquele momento e nós não tivemos essa oportunidade", seguiu.

"Queríamos lutar pela vitória, foi por isso que decidimos juntos continuar fora. Foi por isso que não funcionou", frisou.

Questionado se a McLaren tinha se arrependido da decisão, Seidl respondeu: "Nós terminamos na sétima colocação, então nos arrependemos no momento".

"Foi uma decisão que tomamos com a equipe, com o piloto e o pit-wall. O resultado é que não acertamos juntos hoje em comparação com algumas outras equipes. Vamos analisar, aprender com isso e fazer melhor da próxima vez", assegurou.

Apesar do desfecho da corrida, Seidl fez questão de exaltar a performance de Norris, que conquistou a pole em Sóchi e liderou a maior parte do GP da Rússia de domingo.

"Com exceção das últimas duas, três voltas, o que vimos da equipe, de novo junto com ele, quando ele conquistou a pole e também na corrida, é impressionante para o terceiro ano dele na Fórmula 1", comentou. "E é por isso que precisamos analisar tudo junto com ele o que poderíamos ter feito melhor, aprender com isso. É a primeira coisa que precisamos fazer. E não importa qual seja o desfecho do fim de semana de corrida", apontou.

"Mas, ao mesmo tempo, é importante ver todas as coisas positivas do lado dele e voltarmos mais fortes na Turquia", concluiu.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

ASTON MARTIN CAMPEÃ DA F1 EM 4 OU 5 ANOS: SERÁ POSSÍVEL? | GP ÀS 10

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade