4 eventos ao vivo

Hamilton vence prova agitada em Mônaco e volta à briga pelo Mundial

O britânico Lewis Hamilton conseguiu vencer sua primeira corrida no ano. O tricampeão conquistou o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1, uma prova marcada por mudanças climáticas, alterações nas estratégias de corrida, e diversos acidentes, neste domingo, e se recolocou na briga pelo Mundial. Sob chuva, Hamilton largou na terceira colocação em Monte Carlo […]

29 mai 2016
11h23
  • separator
  • comentários

O britânico Lewis Hamilton conseguiu vencer sua primeira corrida no ano. O tricampeão conquistou o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1, uma prova marcada por mudanças climáticas, alterações nas estratégias de corrida, e diversos acidentes, neste domingo, e se recolocou na briga pelo Mundial.

Sob chuva, Hamilton largou na terceira colocação em Monte Carlo e conseguiu a vitória com uma parada a menos do que a maioria de seus rivais. Ele permaneceu com pneus para pista molhada até que fosse possível trocar diretamente para os de asfalto seco – os outros colocaram compostos intermediários antes de passar aos comuns.

O britânico ainda contou com a sorte em um raro erro da equipe Red Bull, que não tinha preparados os pneus para um pit-stop de Daniel Ricciardo. O australiano largou na pole e liderou o primeiro trecho de prova, mas recebeu a bandeira quadriculada em segundo. Sergio Pérez levou a Force India ao pódio em grande prova.

O alemão Sebastian Vettel foi o quarto, seguido por Fernando Alonso, Nico Hulkenberg e Nico Rosberg. Carlos Sainz Jr., Jenson Button e o brasileiro Felipe Massa fecharam a zona de pontuação. Felipe Nasr abandonou depois de acidente com o sueco Marcus Ericsson, seu companheiro de equipe.

É a segunda vez que Hamilton conquista o GP de Mônaco. A primeira foi em 2008, ano em que conquistou seu primeiro Mundial, também largando da terceira colocação e sob chuva. Na ocasião, o pole position e favorito a subir ao lugar mais alto do pódio era o brasileiro Felipe Massa.

A vitória neste domingo, a primeira na temporada, deixa Lewis Hamilton na segunda colocação do Mundial com 82 pontos, 24 a menos do que Rosberg, seu companheiro de equipe na Mercedes. Ricciardo é o terceiro com 66. Massa soma 37. A próxima etapa do calendário é o GP do Canadá, em Montreal, em 12 de junho.

A prova – A corrida em Monte Carlo começou sob chuva e com os pilotos rodando atrás do safety car pelo apertado circuito de rua do principado. O carro de segurança retornou aos boxes ao fim da sétima volta, finalmente liberando os competidores para brigar por posições.

Daniel Ricciardo não teve problemas para sustentar a ponta do pelotão, deixando Nico Rosberg e Lewis Hamilton disputando a segunda posição. Mas os pilotos tiveram poucos segundos de emoção antes do britânico Jolyon Palmer perder o controle de sua Renault e acertar o muro, causando a adoção do safety car virtual.

Os pilotos só voltaram a acelerar livremente no fim do décimo giro, quando foi reiniciada a briga entre os pilotos da Mercedes pela segunda colocação. A chuva em Mônaco continuou fazendo vítimas. O finlandês Kimi Raikkonen bateu de frente, perdeu a asa dianteira e tentou levar seu carro aos boxes, mas foi obrigado a abandonar.

Ricciardo aproveitou a chance de andar na frente e foi abrindo vantagem sobre o pelotão, limitado pelo ritmo lento de Rosberg. Sebastian Vettel arriscou e foi aos boxes no 14º giro para colocar pneus intermediários – repetindo estratégia adotada previamente por pilotos da parte de trás da classificação.

Na 16ª volta, Rosberg, com claros problemas de rendimento, atendeu ordem da equipe Mercedes e deixou Hamilton assumir a segunda colocação para iniciar a perseguição ao australiano da Red Bull. Em só três voltas, o britânico abriu mais de 8s de frente para o companheiro de time.

Ricciardo foi aos boxes no 23º giro, finalmente adotando pneus intermediários, e retornou à pista atrás apenas de Hamilton. O australiano logo se aproximou do piloto da Mercedes, que se manteve com os pneus para asfalto molhado, mas começou a sofrer com a falta de pontos de ultrapassagem em Mônaco.

O britânico tricampeão mundial adotou estratégia agressiva e foi aos boxes só na 31ª volta para colocar pneus ultramacios para pista seca e assim economizar uma parada. A considerável melhora do asfalto fez com que Ricciardo fizesse outro pit-stop já na volta seguinte, o que seria suficiente para o australiano ficar com a ponta se a Red Bull não tivesse errado.

Quando o australiano parou, o time ainda não estava com todos os pneus prontos para a troca. O piloto teve que esperar e acabou voltando à pista, com compostos supermacios, pouco atrás de Hamilton. No 35º giro, foi a vez de Verstappen bater e causar a adoção do safety car virtual.

Ricciardo quase conseguiu aproveitar um erro do rival para assumir a liderança, na retomada da disputa, mas uma manobra agressiva de defesa do britânico impediu mudanças na classificação.

Felipe Nasr e o sueco Marcus Ericsson, seu companheiro da equipe Sauber, se chocaram na 50ª volta, quando o europeu tentou manobra arriscada para ultrapassar o brasileiro. Na volta anterior, o time tinha mandado o piloto nacional abrir passagem para o companheiro, mas ele não obedeceu.

Mesmo com pneus ultramacios, que se degradariam mais rapidamente, Hamilton conseguiu se manter na primeira colocação, resistindo a ataques esporádicos de Ricciardo. Os pilotos chegaram a ficar bem próximos novamente por causa do safety car virtual, adotado depois de um pedaço de plástico cair na pista, mas o australiano não conseguiu ameaçar o britânico.

Veja o resultado do Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1:

1: Lewis Hamilton (ING/Mercedes)

2: Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull)

3: Sergio Pérez (MEX/Force India)

4: Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)

5: Fernando Alonso (ESP/McLaren)

6: Nico Hulkenberg (ALE/Force India)

7: Nico Rosberg (ALE/Mercedes)

8: Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso)

9: Jenson Button (ING/McLaren)

10: Felipe Massa (BRA/Williams)

11: Esteban Gutiérrez (MEX/Haas)

12: Valtteri Bottas (FIN/Williams)

13: Pascal Wehrlein (ALE/Manor)

14: Romain Grosjean (FRA/Haas)

15: Rio Haryanto (INA/Manor)

Não completaram:

Marcus Ericsson (SUE/Sauber)

Felipe Nasr (BRA/Sauber)

Max Verstappen (HOL/Red Bull)

Kevin Magnussen (DIN/Renault)

Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)

Jolyon Palmer (ING/Renault)

Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade