PUBLICIDADE

Hamilton fala em cautela e espera reduzir testes de configuração do W13 em 2022

Após o pódio no GP do Canadá, Lewis Hamilton afirmou que não deseja mais conduzir tantos testes de configuração no W13. De acordo com o inglês, esse é um trabalho que toma tempo e, muitas vezes, atrapalha o fim de semana todo

27 jun 2022 - 04h00
Ver comentários
Publicidade
Mercedes celebra pódio de Hamilton no Canadá
Mercedes celebra pódio de Hamilton no Canadá
Foto: Jiri Krenek / Mercedes / Grande Prêmio

O pódio no GP do Canadá foi bastante comemorado por Lewis Hamilton. Não só por ter sido capaz de acompanhar os ponteiros na corrida, como também diante de um fim de semana dos mais estranhos para a Mercedes em 2022. O caso é que, mais uma vez, a equipe decidiu conduzir uma série de testes de configuração no enigmático W13 para entender o que melhorar e como. Na sexta-feira, o heptacampeão definiu como "um desastre" os diferentes acertos e disse que pilotou o pior carro que já teve nas mãos em Montreal. O cenário mudou até o domingo, mas, ainda assim, Hamilton entende que é hora de parar de focar em tantos experimentos.

Tudo acontece por conta das dificuldades que a Mercedes encontra com o próprio projeto. O porpoising ainda parece algo crônico, mas há outros problemas que a esquadra prata tenta compreender para explorar o potencial do carro e ganhar performance. E é nisso que Hamilton vem trabalhando nas últimas etapas - até por conta de sua experiência, Lewis tem tomado a frente nos testes feitos pela Mercedes ao longo da temporada. "Talvez na segunda metade da temporada, George possa fazer os testes", respondeu o britânico em declaração ao site da revista Autosport.

E embora o começo tenha sido difícil no Canadá, o W13 que foi à pista no domingo pareceu competitivo e veloz. "Acho que, seguindo em frente, seremos um pouco mais cautelosos em fazer tantos experimentos, pois isso realmente atrapalha o fim de semana, especialmente se você tem apenas os dois primeiros treinos livres com pista seca e o terceiro, não, por exemplo", afirmou o piloto do carro #44.

"Penso que temos muitas lições a tirar deste fim de semana, além de melhorias que podemos fazer a partir de agora", acrescentou depois da prova no Gilles Villeneuve.

+Hamilton se diz "enojado" por retrocesso que dificulta acesso ao aborto legal nos EUA

Lewis Hamilton acha que a Mercedes não deve fazer tantos experimentos mais (Foto: Mercedes)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"Nós tivemos realmente um ótimo ritmo de corrida e foi bom de ver isso. Nem sempre foi o caso com esse carro, mas foi incrível ter essa performance", completou.

A próxima etapa da F1 será na casa do inglês - outro palco em que Lewis dominou nos últimos anos. Inclusive, para Silverstone, a Mercedes pretende levar um significativo pacote de atualizações, repetindo o que fez no GP da Espanha. E apesar de não cultivar nenhuma esperança de disputa por vitória, Hamilton acha que a equipe alemã terá condições de manter o bom momento.

"Estou realmente ansioso por Silverstone, porque é uma corrida importante para nós e para mim", disse. "Eu apenas quero estar na luta com esses caras. No fim da prova no Canadá, com o safety-car e tudo mais, eu achei que dava, que era possível encontrar um caminho, só que eles estavam muito rápidos. Mas chegaremos lá", concluiu.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade