PUBLICIDADE

GP às 10: Hamilton e Toto Wolff formam maior parceria da história da F1. Mas de saco cheio

O GP às 10 deste domingo (11) repercute a insatisfação de Toto Wolff com alguns personagens da Fórmula 1. E mais, debate também o quanto Lewis Hamilton parece estar cheio do ambiente do Mundial

11 abr 2021
0comentários
Publicidade
Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio / Grande Prêmio

Já não é de hoje que Lewis Hamilton tem dado sinais de que está cansado da Fórmula 1. A assinatura tardia de contrato com a Mercedes por mais um ano só é a demonstração clara de que, por mais que ame o que faz, o heptacampeão já se vê cansado do ambiente em si, ainda mais da guinada certeira na vida de assumir uma posição de líder fora do esporte.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O mesmo começa a transparecer com Toto Wolff. O maior dirigente da história começou a abrir o coração recentemente ao dizer que não tem respeito pelos 'maquiavélicos' rivais e começou a dar nome aos bois: Christian Horner, da Red Bull, e Zak Brown, da McLaren. Claro que no balaio deve ter Mattia Binotto, da Ferrari. Wolff já deveria estar ocupando um lugar no comando da F1, mas os rivais não deixam.

A F1 é um esporte que traz o ápice do automobilismo e mexe com as emoções de quem está fora dela, mas muito de quem está dentro. É sobre este assunto que Victor Martins fala no GP às 10: como o mundinho da Fórmula 1 mexe com suas maiores peças a ponto de deixar nebulosa a permanência delas a partir de 2022.

+Os salários de todos os pilotos da Fórmula 1 para temporada 2021

+Mercedes anuncia saída de Allison como diretor-técnico em plano de sucessão

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade