PUBLICIDADE

Governantes criam plano para destravar impasse com moradores e liberar F1 em Miami

A situação da corrida da Fórmula 1 em Miami está prestes a ser resolvida, segundo o jornal The Miami Herald. A publicação conta que o prefeito Rodney Harris ofereceu um plano econômico para a região que vai abrigar a prova e, até agora, travou judicialmente o evento

9 abr 2021
0comentários
Publicidade
O GP de Miami está bem enrolado e segue com futuro indefinido
O GP de Miami está bem enrolado e segue com futuro indefinido
Foto: Reprodução/Miami Dolphins / Grande Prêmio

O sonho da Fórmula 1 de correr em uma segunda etapa nos Estados Unidos parece novamente encaminhado. Após muitas confusões dos moradores com o Rodney Harris, prefeito de Miami Gardens, uma solução parece ter sido encontrada, de acordo com o jornal The Miami Herald.

Os habitantes de Miami Gardens estavam questionando os planos da F1 no local por conta de barulho, poluição e problemas de infraestrutura que o evento pode causar na região. Com isso, frearam os planos dos promotores e levaram a prova, originalmente planejada para o centro da cidade, para perto do Hard Rock Stadium, casa do Miami Dolphins, da NFL.

Os governantes da região são acusados pelos moradores de não respeitar as opiniões dos que vivem ali, seguindo com o projeto mesmo após diversas manifestações locais que pediam que a corrida fosse barrada em um autódromo urbano. O máximo que aconteceu foi uma leve mudança no traçado, bem como nos horários das provas, empurrando os treinos livres para mais tarde para que não afetassem os turnos das escolas do bairro. Não adiantou.

Fórmula 1 segue com planos de correr em Miami no futuro
Fórmula 1 segue com planos de correr em Miami no futuro
Foto: Reprodução/Miami Dolphins / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Após uma votação entre comissários locais em fevereiro de 2020 que permitiu que esportes a motor pudessem ser realizados na região, os moradores se organizaram e, agora, entraram com uma ação de Processo Federal de Direitos Civis contra as partes envolvidas na tentativa de realização da corrida da F1. E a alegação é baseada em discriminação racial, já que a população local é composta majoritariamente por afro-americanos. A ação ainda acusa o prefeito de conspirar com os demais réus - a F1, os Dolphins e o Liberty Media - para levar a F1 ao local e que isso violaria os direitos constitucionais dos residentes.

Para liberar a corrida, o prefeito e o estádio pretendem injetar US$ 5 millhões em um pacote econômico na região. O plano é oferecer programas de estágio para residentes em diversas áreas de especialização. O conselho do condado vota a ação na próxima quarta-feira (14) e a expecativa, segundo a publicação, é de que será aprovada.

Com isso, a Fórmula 1 poderá finalmente colocar a etapa de Miami no calendário para 2022, três anos depois de ser colocada pela primeira vez em pauta. Betty Ferguson, representante dos moradores que processaram Miami-Dade disse que não sabe "quem o condado acha que está representando com essa decisão, mas não serão os moradores".

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:

Mesmo sem nenhuma decisão oficial, a Fórmula 1 já conta com uma nova corrida nos Estados Unidos para os próximos anos Stefano Domenicali, chefão da categoria, já citou Miami como futuro palco de uma prova em um futuro breve.

"Nossa estratégia no futuro vai ser estar mais presente nos Estados Unidos, e com mais de um GP. Austin tem sido muito importante nos últimos anos do nosso calendário. Será assim também no futuro, e estamos conversando com eles sobre a renovação do acordo. E é claro que Miami é um lugar para onde estamos olhando. Não posso dizer mais do que isso. Mas com certeza há um grande interesse de ambas as partes em estar lá", pontuou.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade