1 evento ao vivo

FIA deixa Red Bull esperando e adia decisão sobre congelamento dos motores

FIA não realizou reunião para decidir sobre o congelamento de desenvolvimento dos motores da Fórmula 1 a partir de 2022. Red Bull é a mais interessada na discussão para se aproveitar da tecnologia Honda

26 jan 2021
15h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
1 – Max Verstappen (Red Bull) – 9.78 – Vencedor de ponta a ponta. Merece elogios. (
1 – Max Verstappen (Red Bull) – 9.78 – Vencedor de ponta a ponta. Merece elogios. (
Foto: AFP / Grande Prêmio

A Red Bull vai precisar esperar mais duas semanas para descobrir se vai seguir adiante com o planejamento de motores para 2022. Segundo informação do site RaceFans, a votação virtual da FIA para definir o congelamento do desenvolvimento das unidades de potência da Fórmula 1 não foi realizada na última segunda-feira (25).

A equipe taurina tem o interesse na interrupção do desenvolvimento para seguir utilizando a tecnologia da Honda na temporada 2022. A montadora japonesa anunciou que está de saída da Fórmula 1 ao fim de 2021, e a transferência da tecnologia não forçaria a Red Bull a procurar outra parceira.

Em entrevista recente, o consultor Helmut Marko chegou a afirmar que a equipe pode repensar o futuro na Fórmula 1 caso o congelamento não seja aprovado. Existem opiniões divergentes entre as rivais da Red Bull.

Honda vai deixar a Fórmula 1 no fim de 2021 (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

"Temos um teto de gastos. Estamos discutindo redução e restrição nos salários dos pilotos. Apenas com motores que tudo está aberto. Além do mais, a tendência é que as mudanças do motor sejam antecipadas para 2025. Infelizmente, foi um grande gerador de custos. Investir ainda mais nele agora não faz sentido", afirmou Marko ao site da revista alemã Auto Motor und Sport.

"Isso significaria que a Red Bull teria de repensar drasticamente sua situação na Fórmula 1, e isso não é chantagem. Por puro bom senso e razões de custo, o congelamento dos motores é a única maneira de avançar com estas unidades de potência infelizes", concluiu.

A próxima reunião da FIA para discutir o assunto está marcada para acontecer no dia 11 de fevereiro. Será realizada com a comissão da Fórmula 1 dentro do órgão, além do diretor esportivo Ross Brawn.

Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade