PUBLICIDADE

Ferrari critica direção de prova e pede decisões mais "nítidas" após GP do Canadá

Mattia Binotto pediu mais agilidade da direção de prova. Ferrari fez chamada com reação "relâmpago" para trazer Carlos Sainz aos boxes depois do acidente de Yuki Tsunoda

20 jun 2022 08h09
ver comentários
Publicidade
Não foi desta vez que Sainz conquistou sua primeira vitória na F1
Não foi desta vez que Sainz conquistou sua primeira vitória na F1
Foto: Ferrari / Grande Prêmio

FÓRMULA 1 2022 AO VIVO: TUDO SOBRE O GP DO CANADÁ DE F1 | Briefing

Chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto criticou a falta de agilidade da direção de prova durante o GP do Canadá, disputado no último domingo (19), e vencido por Max Verstappen, da Red Bull. O dirigente italiano crê que decisões mais nítidas precisam ser tomadas.

Piloto da Ferrari, Carlos Sainz liderava a prova quando o japonês Yuki Tsunoda, da AlphaTauri, bateu na saída do pit-lane. Bandeiras amarelas foram acionadas pela direção até a decisão do diretor de prova Eduardo Freitas do safety-car entrar. A demora na entrada fez a Ferrari tomar uma decisão relâmpago em chamar o espanhol aos boxes para a segunda parada.

OPINIÃO GP: Sorte sorri, mas nem assim Ferrari consegue deter imparável Verstappen

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"Acho que demoraram muito para decidir pelo safety-car. No momento, Carlos liderava a corrida, e acho que a entrada do safety-car veio apenas quando ele estava no fim da reta principal, chegando na última curva. O time tem sido muito bom em reagir, e o piloto em si também vindo aos boxes. Acho que tivemos apenas um segundo para reagir, e reagimos. Sem boas decisões, teria sido uma situação muito difícil para Carlos, e acho que precisamos de decisões mais nítidas. Demorou muito para decidir", declarou Binotto após a corrida.

Carlos Sainz ficou em segundo no Canadá e soma 102 pontos na temporada 2022 da F1 (Foto: Ferrari)

Sainz chegou a pressionar Verstappen nas voltas finais e com pneus mais novos, mas acabou amargando a segunda posição e viu a sequência de vitórias consecutivas da Red Bull aumentar para seis. Apesar disso, Mattia encheu o espanhol de elogios por conquistar o quinto pódio na temporada.

"Se você olhar nas simulações de classificação na sexta-feira, Carlos já estava muito forte. Acho que estivemos muito próximos da Red Bull, e sabíamos que poderíamos brigar. Carlos está ganhando confiança com o carro, pilotando cada vez mais rápido. E é bom ver que hoje ele foi tão, ou até mais rápido do que Verstappen", finalizou.

Com 102 pontos, Sainz ocupa a quinta posição no Mundial de Pilotos, 73 atrás do líder Verstappen. Charles Leclerc, companheiro de Carlos na Ferrari, foi quinto em Montreal.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade